Noviembre 14

…El Señor me ha guiado en el camino…Génesis 24:27, LBLA.

Deberíamos ser uno con Dios de tal manera que no necesitemos pedir su dirección continuamente. La santificación implica que somos hijos de Dios y la vida natural de un hijo es la obediencia. Sin embargo, como llega el momento en que escogemos desobedecer, de inmediato se produce un conflicto interno. En el nivel espiritual este conflicto es la amonestación del Espíritu de Dios. Cuando Él nos exhorta de esta forma, debemos detenernos en seguida y renovamos en el espíritu de nuestra mente para discernir la voluntad de Dios (ver Romanos 12:2). Si hemos nacido de nuevo por el Espíritu, nuestra devoción a Dios se ve obstaculizada, o incluso interrumpida, porque continuamente le pedimos que nos dirija aquí y allá…. “El señor me ha guiado”. Mirando hacia atrás vemos la presencia de un designio asombroso. Si hemos nacido de Dios, veremos su mano que nos guía y le daremos el crédito.

Todos podemos ver a Dios en situaciones excepcionales, pero es necesario cultivar la disciplina espiritual para verlo en cada detalle. Nunca creas que los acontecimientos “casuales” de la vida son algo menos que el orden establecido por Dios. Debes estar listo para descubrir sus designios en cualquier lugar y en todas partes.

Ten cuidado de que tus convicciones se vuelvan una obsesión en ti, en lugar de consagrarte a Dios. Si eres un creyente que dice: “Nunca haré esto o aquello”, con toda probabilidad eso será exactamente lo que Dios te pedirá. Durante su vida terrenal, nunca hubo un ser más inconsecuente que nuestro Señor, pero nunca lo fue con su Padre. La única coherencia de un creyente no es con respecto a un principio, sino a la vida divina. Esta vida es la que continuamente hace más descubrimientos acerca de la mente de Dios. Es más fácil ser fanático que coherentemente fiel, porque Dios humilla de manera asombrosa nuestro orgullo religioso, cuando somos fieles a Él.

Advertisements

14 De Novembro
Estando no caminho, o Senhor me guiou…Gen.24.27

Deveríamos estar em tal uníssono e união com Deus que não deveria haver qualquer pensamento ou necessidade sequer de estarmos a pedir a orientação dele vezes sem conta. Santificação significa que somos feitos filhos de Deus; a atitude normal do filho é a obediência ao Pai dentro de seu ser e não em suas resoluções. Quando ele resolve desobedecer, sua consciência o acusa na hora devido à natureza interior que tem. No campo espiritual, essa acusação intuitiva é a advertência do Espírito de Deus, sendo iluminada por ele ali. Quando ele nos dá esse “sinal”, temos que parar logo ali e ser renovados em nossa mente e forma de pensar, a fim de sabermos qual é a vontade de Deus sobre esse dado momento (ver Romanos 12:2). Se já nascemos de novo pelo Espírito de Deus, é um contra-senso estar a pedir a Deus de forma ininterrupta e inconstante que nos esteja a guiar ainda. “O Senhor me guiou”; e analisando depois o que aconteceu, perceberemos que houve um maravilhoso desígnio que, como filhos de Deus, Lhe creditaremos.

Todos nós conseguimos ver a Deus naquelas coisas que são excepcionais; mas, será necessário uma maior maturidade espiritual para podermos ver Deus nos mínimos detalhes de nossa existência. Não aceite nenhum evento de nenhuma outra forma, senão como um propósito de Deus; e procure ver em qualquer evento da vida os desígnios divinos para si.

Tenha cuidado para não idolatrar sua fidelidade às suas convicções, em vez de ser dedicado a Deus exclusivamente. “Nunca farei isso”. Existem muitas probabilidades de você passar por “isto ou aquilo”, caso seja ainda um servo de Deus. Nunca houve na terra um ser mais incoerente do que nosso Senhor Jesus Cristo; contudo, ele nunca foi incoerente para com o nosso Pai. Temos que ser fiéis à vida de Deus em nós e nunca a um princípio de nossa doutrina ou autoria. Será esta a vida em nós que nos vai identificar e esclarecer cada dia mais sobre quais são os propósitos de Deus para nós. É mais fácil tornar-se fanático do que servo fiel e simples, porque ser leal a Deus não nos glorifica e fere definitiva e principalmente a nossa vaidade religiosa.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Noviembre 13

…El cual me amó y se entregó a sí mismo pon mi“, Gálatas 2:20

Debemos luchar contra nuestros caprichos, sentimientos y emociones para entregarnos a una devoción absoluta al Señor Jesús; y debemos salir del atolladero conformado por el pequeño mundo de nuestras experiencias, para entregarnos en una devoción sin restricciones a Él. Piensa en lo que dice el Nuevo Testamento acerca de quién es Jesucristo. Luego piensa en la infame mezquindad de la fe que mostramos al decir: “¡No he tenido esta o aquella experiencia!” Piensa en lo que la fe en Jesucristo sostiene: que Él nos puede presentar sin  mancha ante el trono de Dios, indescriptiblemente puros, absolutamente justos y totalmente justificados. Mediante una fe plena y reverente permanece “en Cristo Jesús, el cual nos ha sido hecho por Dios sabiduría, justificación, santificación y redención“, 1 Corintios 1:30. ¿Cómo podemos hablar de hacer un sacrificio por el Hijo de Dios? Somos salvos del infierno y la destrucción total, ¡y luego nos atrevemos a hablar de sacrificarnos!

Continuamente debemos enfocar y afirmar nuestra fe en Jesucristo. No en el Jesucristo de las reuniones de oración, ni en el de los libros, sino en el Jesucristo del Nuevo Testamento que es Dios encarnado y quien debería hacernos caer a sus pies como muertos. Nuestra fe debe estar en Aquel de quien procede nuestra salvación. Jesucristo quiere de nosotros una absoluta, libre y completa devoción a Él. Nunca podremos experimentar al Señor, ni encerrarlo dentro de los confines de nuestro corazón, sino que nuestra fe se debe construir sobre una fuerte y decidida confianza en Él.

Debido a nuestra confianza en las experiencias vemos que la firma intolerancia del Espíritu Santo se pronuncia contra la incredulidad. Todos los temores son pecaminosos y los creamos cuando rehusamos alimentar nuestra fe, ¿Cómo puede alguien que se ha identificado con Jesucristo tener dudas o temores? Nuestras vidas deberían ser un absoluto himno de alabanza como resultado de una fe perfecta, irreprensible y victoriosa.

13 De Novembro
O Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim…Gal.2.20

Teremos que passar e vencer os nossos estados de humor, sentimentos e emotividade para chegarmos a uma devoção simples ao Senhor Jesus Cristo. Pense regularmente de como o Novo Testamento manifesta Jesus Cristo, para depois verificar a mesquinhez da nossa miserável fé: “Eu não tive esta e aquela experiência!” Pense no que afirma a fé em Jesus Cristo – que ele é poderoso para nos apresentar diante do trono de Deus, imaculados, absolutamente rectos e profundamente justos e justificados. Tome sua posição de fé que não é mais relutante e a que cai em adoração simplesmente, uma confiança absoluta em quem se tornou para todos nós “sabedoria, justiça, santificação e redenção”, 1Cor.1:30. Como podemos falar em sacrificar ao Filho de Deus ainda! Somos salvos do inferno e da perdição do pecado e ainda falamos em fazer sacrifícios a ele!

Temos que exercer constantemente a fé em Jesus Cristo; não no Jesus Cristo da reunião de oração, nem naquele dos nossos livros, mas, no Jesus Cristo do Novo Testamento, que é o Deus encarnado, o que deveria fazer-nos cair a seus pés como mortos em vez de nos tornar vivos nele. Nossa fé deve firmar-se naquele que é o autor dessa nossa experiência de vida nova nele e não na experiência. Jesus, para que isso tenha como acontecer, pede de todos nós uma entrega e devoção totais a ele somente. Não podemos conhecer a Jesus Cristo através das experiências que auferimos e experimentamos de forma real, nem contê-lo dentro dos limites do que o nosso coração imagina e experimenta; mas, tendo confiança total nele é que edificamos nossa fé real e exclusiva.

Será nesse ponto fulcral e particular que vemos como o Espírito Santo se impacienta contra aquela incredulidade ainda existente em nós. Todos os nossos temores são pecaminosos por essa razão; tememos porque não nos queremos alimentar nem identificar nessa fé desse jeito peculiar. Como é que uma pessoa que está identificada com Jesus Cristo ainda pode ter dúvidas ou medos, eu não entendo! Nossa vida deveria ser um maravilhoso cântico, revelando uma fé triunfante e invencível, impossível de abafar ou matar.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

On my research about the Trinity, I found this very instructive article by Nabeel Qureshi, a man whose life God used to teach me His ways. A brother whom I learned to love and respect. The article was originally published at christianity.com. The concept of the Trinity is explained in a simple way. Read this, and other articles on this topic here

Of all the chapters of the Qur’an that we memorized as Muslim children, there was one we recited more frequently than any other. It wasn’t long, only 4 verses, but Muhammad taught that it encapsulated a third of the Quran’s teaching, making it the weightiest chapter of the scripture and a core doctrine of the Islamic faith. It is Surat-al-Ikhlaas, chapter 112, and its second verse contains the message:

“God is not a Father, and He is not a Son.”

So above all doctrine in my Muslim life, the one teaching that was drilled into my head most often was ‘Tawhid’, that God is absolutely one and cannot be Father or Son. By the time I was a teen, my reaction to the Trinity was kneejerk: I saw it as nonsensical, polytheistic blasphemy.

Part of the problem was that no one clarified to me how the Trinity could be a monotheistic doctrine. It sounded to me like people wanted to worship three gods, but still desired the dignity of being monotheists, so they invented a nonsense doctrine called the Trinity in which God could be three and one at the same time.

What made the problem worse was that no one explained what it meant for Jesus to be the Son of God. I, and most of the Muslim world around me, assumed that this implied some kind of biological sonship; physical offspring, as if one day God decided to create another god. In turn, that meant Jesus must be an inferior god, a created one. The Bible seemed to support Jesus’ inferiority to God, since Jesus says in John: “the Father is greater than I.” (John 14:28) Regarding the Bible, I did not find the doctrine of the Trinity anywhere in the Bible, so I concluded it must be blasphemous.

That is why I saw the Trinity as nonsensical, polytheistic blasphemy.

It all changed when I began studying two things more carefully: science and the Bible. Science began to show me that there are things in this world so tiny that we can only view them through microscopes, and yet they are incomprehensibly complex. Though quantum mechanics comes to mind, much more commonplace matters can be similarly befuddling, such as light. Light defies the minds of scientists, being both a particle and a wave, yet this apparent contradiction is demonstrably true.

If the world is so complex that it baffles our minds, what about the One who created the world? The One who created our minds? I now think that if my Creator is so simple that I can understand Him, perhaps I have made Him in my image.

With a less presumptuous attitude, I approached the Bible to see what it actually teaches. Though it does not use the word “Trinity”, the teachings are certainly there. It teaches that there is only one God (Deuteronomy 4:35), but He is somehow plural (Genesis 1:1, Deuteronomy 6:4, John 1:1). God is Father, God is Son, and God is Holy Spirit, and these three persons share the name of Yahweh (Matthew 28:19; Philippians 2:11 cf. Isaiah 45:22-23).

So the Bible teaches that God is one being and three persons. This is not a contradiction, because ‘being’ and ‘person’ are two different things. Your being is that which makes you what you are, your person is that which makes you who you are. For instance, I am one being, a human being, and one person, Nabeel Qureshi. Yahweh is one being, God, with three persons: Father, Son, and Spirit. Complex? Yes. Unique? Yes. Nonsensical? No.

The Sonship of Jesus is not physical, but one of role. This explains how he can be inferior to the Father in one sense, but still be equal to the Father in another. As an illustration, my father is superior to me in terms of role within the family, but he and I are equally human. I am inferior in role, but equal in substance. So is Jesus inferior in role to the Father, but equal in substance, since they are the same Being.

Armed with these definitions and illustrations, I began to see how the Trinity was a viable model for the nature of God. I didn’t believe it, however, until I found good reason to believe the Gospel. I found that when I saw the evidence that Jesus claimed to be God and proved it by rising from the dead, having died for our sins on the cross.

There is so much depth to God that we can never tire of drawing from His well. As we know God more and go deeper in our understanding of His nature, not only will our lives be enriched but so will the lives of others as we more compellingly share Him and His love.
Nabeel Qureshi  was a speaker with Ravi Zacharias International Ministry.  One of his bestseller books is, Seeking Allah, Finding Jesus: A Devout Muslim Encounters Christianity, released from Zondervan. Find more about him on his website,www.NabeelQureshi.com,  on Twitter @NAQureshi, and on Youtube NQMinistries.

 

Noviembre 12

De modo que si alguno está en Cristo, nueva criatura es: Las cosas viejas pasaron, todas son echas nuevas“, 2 Corintios 5:17

¿Qué idea tienes acerca de la salvación de tu alma? La obra de la salvación implica que tu vida práctica cambia radicalmente y que ya no ves las cosas como antes. Como tus deseos son nuevos, todo lo del pasado ha perdido su poder de atracción. Uno de los criterios para juzgar la autenticidad de la obra de la salvación en tu vida consiste en la pregunta: ¿Ha cambiado Dios lo que más te importa? Si aún anhelas las cosas viejas es absurdo hablar de que has nacido de arriba; te estás engañando a ti mismo. Si has nacido de nuevo, el Espíritu de Dios hace que el cambio sea evidente en tu vida práctica y en tu manera de pensar y cuando viene una crisis, eres la persona más sorprendida del mundo debido a la maravillosa diferencia que encuentras en ti. No es posible imaginar que fuiste tú quien lo hizo. Este cambio total y sorprendente se constituye en la mejor evidencia de que eres salvo.

¿Qué cambios ha producido mi salvación y santificación? Por ejemplo, ¿puedo permanecer de pie a la luz de 1 Corintios 13, o tengo que retirarme arrastrando los pies? La verdadera salvación que el Espíritu Santo ha llevado a cabo en mí me libera por completo y mientras ande en la luz, como él está en luz 1 Juan 1:7, Dios no ve nada reprochable porque su vida se está manifestando en cada detalle de mi ser; no en mi mente consciente, sino en un nivel más profundo.

12 De Novembro
“E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura: as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas”, 2 Cor.5.17

Que tipo de entendimento você tem sobre o que será a salvação de toda a sua alma? A experiência da salvação significa que a sua vida diária realmente mudou, sem sombra para qualquer tipo de dúvida; que você não vê mais as coisas como antes via. Seus anseios são novos e as coisas velhas perderam o seu encanto por inteiro. Deus já alterou as coisas importantes, as principais, dentro de si? Essa é uma das características da experiência de salvação. Se ainda anseia pelas coisas antigas, será sempre um certo tipo de absurdo pensar que nasceu do alto; você está iludido e enganado. Se já nasceu de novo, o Espírito de Deus tornará visível essa transformação ocorrida em sua vida e em seu modo de pensar e ela será real e evidente ainda. E, quando lhe sobrevier a tentação para cair nela, mais que qualquer outra pessoa, será você a ficar admirado com a maravilhosa transfiguração operada dentro de si. Não haverá a menor possibilidade de se pensar que você a tenha podido produzir. A evidência da sua salvação é esta surpreendente e total transformação operada pelo lado de dentro.

Minha salvação e santificação fazem alguma diferença em minha vida actual? Por exemplo, será que suporto ser exposto à luz de 1Cor.13, ou irei remexer-me inquieto quando o leio? A salvação operada em nós pelo Espírito Santo liberta-nos totalmente da inquietação; e enquanto andarmos na luz como Deus está na luz, 1 João1:7, ele terá nada para nos censurar mais, porque a vida dele está sendo desenvolvida em cada pormenor de toda a nossa vida e a um nível muito mais profundo do que o da nossa esfera consciente.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

If anyone is in Christ, he is a new creation; old things have passed away; behold, all things have become new.  2 CORINTHIANS 5:17

What understanding do you have of the salvation of your soul? The work of salvation means that in your real life things are dramatically changed. You no longer look at things in the same way. Your desires are new, and the old things have lost their power to attract you. One of the tests for determining if the work of salvation in your life is genuine is— has God changed the things that really matter to you? If you still yearn for the old things, it is absurd to talk about being born from above— you are deceiving yourself. If you are born again, the Spirit of God makes the change very evident in your real life and thought. And when a crisis comes, you are the most amazed person on earth at the wonderful difference there is in you. There is no possibility of imagining that you did it. It is this complete and amazing change that is the very evidence that you are saved.

What difference has my salvation and sanctification made? For instance, can I stand in the light of 1 Corinthians 13, or do I squirm and evade the issue? True salvation, worked out in me by the Holy Spirit, frees me completely. And as long as I “walk in the light as He is in the light” (1 John 1:7), God sees nothing to rebuke because His life is working itself into every detailed part of my being, not on the conscious level, but even deeper than my consciousness.

From My Utmost for His Highest Updated Edition. Please do follow the blessed and worldwide well known devotional My Utmost for His Highest by Oswald Chambers here.

11 De Novembro
Toma teu filho…Gênesis 22.2

A ordem de Deus é: “Toma agora” e não “daqui a pouco”. É impressionante como gostamos de contestar tudo! Sabemos que é certo fazer determinada coisa, mas, procuramos desculpas para não termos de fazê-la imediatamente ou da maneira que devemos. Subir até ao cume que Deus nos mostra nunca pode ser feito daqui a pouco; tem que ser feito neste momento. O sacrifício é sempre oferecido primeiro no plano da vontade de quem oferece e só depois é que será oferecido de facto.

“Levantou-se, pois, Abraão de madrugada… e foi para o lugar que Deus lhe havia indicado”, Gen.22:3. Que simplicidade maravilhosa a de Abraão! Quando Deus falou, ele “não consultou carne nem sangue”, Gal.1:16. Tenha cuidado quanto tiver o desejo de consultar carne e sangue – suas próprias preferências, seu próprio discernimento das coisas, ou qualquer outra coisa que não faça parte daquele relacionamento pessoal que tem com Deus. São essas as coisas que competem directamente com Deus e podem impedir que lhe obedeçamos de pronto.

Vemos que Abraão também não escolheu o sacrifício. Cuidado para não cair no erro crasso de fazer para Deus um serviço que foi você quem escolheu; o auto-sacrifício pode ser prejudicial em vez de ser obediência pura – pode ser falta de vontade de obedecer. Se a taça que Deus lhe deu é doce, sorva-a com gratidão; se ele a fez amarga, tome-a em comunhão através dele. Se a vontade de Deus para si for passar por dificuldades e problemas, faça por enfrentá-las; mas, nunca queira escolher o lugar do martírio, como que dizendo, “Irei até ali só e nem mais um passo!” Foi Deus quem escolheu a provação e o lugar da provação para Abraão e ele não contestou nenhuma das coisas; obedeceu sendo firme. Se você não estiver naquela vivência da plena comunhão com Deus, será fácil julgar Deus ou Abraão de forma errada. Você terá que passar pela provação para depois ter o direito de emitir opinião sobre Deus, pois só após a provação é que se efectivará o propósito de Deus e só ali passará a conhecê-Lo melhor. O Senhor está operante em si com a finalidade exclusiva de poder unir o propósito dum homem ao propósito dele.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Noviembre 11

Y Dios le dijo: Toma ahora a tu hijo…“, Génesis 22:2

El mandamiento de Dios es: Toma “ahora”, no después. ¡Es increíble cómo discutimos! Sabemos que algo es correcto, pero tratamos de encontrar excusas para no hacerlo enseguida. Nunca debemos escalar hasta la altura que Dios nos muestra un poco más tarde; es necesario hacerlo de inmediato. El sacrificio se efectúa primero en la voluntad, antes de que se realice de manera práctica.

Abraham se levantó muy de mañana… y fue al lugar que Dios le había dicho“, Génesis 22:3. ¡Oh, la maravillosa sencillez de Abraham! Cuando Dios le habló, “no consultó con carne y sangre”, es decir, con tus propios pensamientos, percepciones, gustos, o con cualquier cosa que no esté fundamentada en tu relación personal con Dios. Todos estos elementos compiten con la obediencia a Él y la estorban. Abraham no eligió cual sería el sacrificio. Guárdate siempre de que seas tú quien escoja el servicio a Dios. La abnegación personal puede ser una enfermedad que daña tu servicio. Si Dios ha hecho dulce tu copa bébela con gracia; si la he hecho amarga, bébela en comunión con Él. Si su voluntad providencial para ti es un período duro y de gran dificultad, sopórtalo, pero nunca elijas el escenario de tu propio martirio. Dios eligió la prueba para Abraham y él no se demoró ni argumentó. Obedeció con firmeza. Si no estás viviendo en comunión con Él, es fácil culparlo o juzgarlo. Antes de que tengas algún derecho de pronunciar un veredicto, debes superar la prueba porque así aprendes a conocer mejor a Dios. Él está obrando para que alcancemos sus fines más elevados, hasta que su propósito y el nuestro sea uno sólo.