2 de Janeiro

…e que fazia prosperar o seu reinado em atenção ao seu povo.2 Samuel 5:12; 1 Crónicas 14:2

“Quem não vive para servir, não serve para viver”. Este é um princípio, cujo autor desconheço, que aprendi nos meus primeiros anos na caminhada com o Mestre. Mais do que rima entre as palavras, é o seu significado e a diferença que faz quando compreendido e praticado; pelo menos a mim tem marcado muito a minha vida.

No texto de hoje vemos a razão da prosperidade do reinado de David, que sabemos foi o maior rei que Israel jamais teve e até continua famoso entre nós. “Em atenção ao seu povo”; apesar de sermos criados de forma única, o propósito individual de Deus em cada um de nós une-nos a um propósito comum: servir. O faremos de diferentes formas por sermos diferentes, mas terá de encaixar-se no princípio da servidão: fomos criados para servir. Todo aquele que conhece Jesus Cristo e O segue sabe que não tem como não praticar tal princípio pois Ele é o modelo a seguir (Mc 10:45).

Nenhum de nós foi criado apenas para consumir recursos. Deus na sua infinita sabedoria planejou-me de modos a marcar diferença com a minha vida. Fui chamado para adicionar algo a vida na Terra e não apenas subtraí-la.  É vontade de Deus que eu contribua com algo.

David havia sido constituído rei para uma missão especial. Deus queria atingir o povo, e consequentemente usou a David como o seu canal. Actualmente, a maioria de nós quando ouve falar em “missão ou chamado especial”, pensa que se trata de pastores, missionários, cantores, profetas, etc., Deus deixa claro que todo aquele que pertence ao seu pasto foi chamado para ministrar.

Biblicamente falando, não devemos distinguir as palavras “servo” e “ministro” pois são sinónimas, tal como o são “serviço” e “ministério”. Se sou cristão, sou ministro, e analogamente ao servir, estou a ministrar. Uma vez salvo, é intenção de Deus para os seus alvos. Deus tem um ministério para cada um de nós na sua Igreja e uma missão para cada um no mundo.

O que importa não é a duração da minha vida, mas o quanto doo dela. A diferença não está no quanto terei vivido, mas como vivi. A vida só é completa quando me ofereço para ajudar os outros. O Mestre disse, “Quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas quem perder a vida, por causa de mim e do evangelho, a salvará” (Mc 8:35). Se não sirvo, então não existo pois a vida foi feita para servir/ministrar. Devo estar ciente de que não sou salvo por servir, mas salvo para servir. Deus quer que eu aprenda a amar e servir os outros enerosamente.

Advertisements

1 de Janeiro

‘Aquele que é sábio, pense nestas coisas e medite no amor do Senhor.Salmos 107:43  (BPT)

Esta é uma daquelas advertências que indirectamente assume que aquele que nao a aceita é burro. Esta premissa torna-se evidente ao identificar Aquele a quem pertecem as coisas nas quais se deve pensar, o SENHOR.

Ao entendermos quem Deus é, e o que Ele fez e tem feito nas nossas vidas seria insensatez ignorá-Lo. Apenas aquele que procura pela verdade pode achá-la. Apenas aqueles, como David, que podem achar os juízes de Deus mais desejáveis do que o ouro, até mesmo, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos, (Salmos 19:10), sabem quão agradável é comunhão com Deus. Estes são considerados sábios por tomarem decisões arriscadas na vida apesar da oposição por aqueles a sua volta; são aqueles que renunciam tudo para viver em dependência dos princípios do Reino de Deus, vão e vendem tudo quanto têm para comprar o terreno onde está o tesouro (ver Mateus 13:44).

A que coisas se refere o Salmista?

Por todo o Salmo, ele descreve o relacionamento entre Deus e Israel; como este traíu o seu Deus seguindo outros caminhos, e as consequências de tal decisão. Em determinado momento o povo clamou ao SENHOR e Ele os socorreu (Salmos 107:28).  O povo é advertido a lembrar-se sempre do Eterno pela sua bondade e maravilhas (Salmos 107:31) pois isto os manterá em comunhão com o seu Criador e os ajudará a obedecerem os Seus desígnios que são justos.

Apenas um insensato se afastaria da fonte do seu bem-estar. Viver em dependência a Deus torná-nos sábios, uma vez que sendo Ele o Criador conhece-nos melhor, logo a única forma que tenho para realmente conhecer-me a mim mesmo é manter um relacionamento com o meu Inventor.

Deus tem sido tão bom para comigo, e viver debaixo do Seu senhorio é sinal de sabedoria; só um insensato optaria o contrário.

Seja sábio.

Who is wise? Let him give heed to these things, And consider the lovingkindness of the LORD. Psalm 107:43 (NASB)

This’s a typical advice that indirectly one might assume that by ignoring it, he/she is a fool. This assumption starts by identifying the Owner of the things being mentioned, the LORD.

When we understand who God is, and what He did or have been doing in our lives it’ foolishness to ignore Him. Only a seeker of truth can get it. Only those who can declare “They are more desirable than gold, yes, than much fine gold; sweeter also than honey and the drippings of the honey-comb.” (Psalm 19:10) know how pleasant it is to maintain a consistent communion with God, and they’re called wise men for taking risk decisions in life despite the opposition from those around, they give up everything to dwell according to God’s Kingdom principles, they go and sell everything they’ve to buy what they found (cf. Matthew 13:44).

So what kind of things is the Psalmist talking about?

All along the Psalm, he describes the relationship between God and His chosen people.  How the later betrayed the former by following not allowed ways and the consequences of such decision. He tells that at a certain point the people cried to the LORD and He heard them (Psalm 107: 28). The writer calls them to always remember who God is and exhorts them to give thanks to the LORD for His lovingkindness, and for His wonders to the son of men (Psalm 107:29) for this will keep them in touch with their Creator by following His laws which are just.

Only a dumb person can run away from the source of his health or wealth. Living on the dependence of God turns us, wise men; and after all, He’s our Creator, He knows us better than ourselves, so if I want to really know myself, I need to talk to my Inventor.

God has been so good to me, so why not to acknowledge that…only a wise can do that, dumb folks don’t dare to.

Diciembre 31

Porque no saldréis apresurados ni iréis huyendo, porque Jehová irá delante de vosotros y vuestra retaguardia será el Dios de Israel“, Is.52:12

Seguridad del ayer “…Dios restaurará lo pasado”, Eclesiastés 3:15Al terminar el año nos volvemos con gran avidez hacia todo lo que Dios tiene para el futuro. Sin embargo, la ansiedad fácilmente aparece cuando recordamos el pasado. Nuestro gozo actual, el cual depende de la gracia divina, tiende a opacarse por el recuerdo de los pecados y los errores del pasado. Pero como Dios es el Dios de nuestro ayer, permite que los recordemos para convertir el pasado en un ministerio de desarrollo espiritual para enfrentar el futuro. Él nos recuerda el pasado, para que no tengamos una seguridad superficial en el presente.

Seguridad para el mañana. Jehová irá delante de vosotros. Esta es una bondadosa revelación de que Dios hará guardia donde nosotros hemos dejado de hacerlo. Él vigilará para que no caigamos nuevamente en las mismas faltas, como indudablemente sucedería si Él no fuera nuestra retaguardia. La mano de Dios se alarga hasta el pasado para liquidar todas las demandas que existen contra nuestra conciencia.

Seguridad para hoy. Porque no saldréis apresurados. Al recibir el nuevo año, no lo hagamos con ese apresuramiento impetuoso de la alegría olvidadiza, ni con la huida de una irreflexión impulsiva, si no con el poder paciente que surge cuando sabemos que el Dios de Israel irá delante de nosotros. El pasado nos muestra daños irreparables. Es cierto que hemos perdido oportunidades que nunca volverán, pero Dios puede transformar esta ansiedad destructiva en una constructiva reflexión para el futuro. Dejemos que el pasado duerma, pero que duerma en el pecho de Cristo.

Abandona el pasado irreversible en las manos de Dios y avanza hacia el irresistible futuro con Él.

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojoy examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

 

31 De Dezembro
“Pois não saíreis apressadamente, nem ireis em fuga; porque o Senhor irá diante de vós, e o Deus de Israel será a vossa retaguarda”, Is.52:12

Seguros contra nosso passado. “Deus pede as contas de tudo quanto passou…”, Ecl.3:15. No fim do ano, olhamos com grande expectativa tudo quanto Deus tem para o nosso futuro, mas, mesmo assim, podemos ficar aprisionados nos dias de ontem. O presente gozo da graça de Deus pode ser reprimido pela recordação dos pecados e falhas e pudores de ontem. Mas, Deus é o Deus do nosso passado e permite que nos lembremos dele a fim de transformá-lo numa lição espiritual para o futuro também. Deus faz-nos lembrar do passado para que não nos resguardemos na segurança superficial do presente momento.

Seguros no amanhã. “Porque o Senhor irá diante de vós”. Esta revelação nasce da misericórdia de Deus, a de que ele nos protegerá, quando não nos protegemos a nós mesmos. Ele vigiará para que certos obstáculos não nos façam recair nas mesmas falhas de sempre, como certamente o fariam se ele não fosse a nossa retaguarda também. A mão de Deus pode estender-se ao passado possibilitando-nos de manter a consciência limpa.

Segurança para hoje. “Porquanto não saíreis apressadamente”. À medida que nos aproximamos do novo ano, não o façamos com a pressa da alegria impetuosa ou da irreflexão impulsiva e contraditória, mas com aquela força paciente da certeza de que o Deus de Israel marchará adiante de nós também. Nosso passado apresenta-nos falhas irreparáveis; é verdade que deixamos passar oportunidades que agora se acham perdidas para sempre, mas, Deus pode transformar essa ansiedade destrutiva numa força construtiva de reflexão para o futuro. Deixe o passado no esquecimento, mas, deixe-o nas mãos de Cristo também.

Entregue a ele o irreparável passado e entre com ele no irresistível futuro adiante.

 REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Diciembre 30

…Todas mis fuentes están en ti“, Salmo 87:7

El Señor nunca “remienda” nuestras virtudes naturales. Él vuelve a hacer al hombre por completo en su interior. “…Vestíos del nuevo hombre”, Efesios 4:24. En otras palabras, encárgate de vestir a tu vida natural con todo lo que armonice con la nueva vida. La vida que Dios implanta en nosotros desarrolla sus propias virtudes nuevas; no las virtudes de Adán, sino las de Jesucristo. Observa cómo Dios, después de haber comenzado en ti el proceso de la santificación, hará marchitar la confianza en tus virtudes y potencias naturales, hasta que aprendas que tu vida debe nacer de la fuente de la vida, es decir, del Jesús resucitado. ¡Dale gracias al Señor si estás pasando por una experiencia de sequía!

La señal de que Dios está obrando en nosotros es que Él destruye nuestra confianza en las virtudes naturales, porque no son promesas de lo que seremos, sino los residuos que nos recuerdan para qué nos creó Él. Nos apegamos a esas virtudes mientras todo el tiempo Dios ha estado tratando de ponernos en contacto con la vida de Jesucristo, la cual nunca se puede describir en función de las virtudes naturales. Es muy triste ver a personas que tratan de servir a Dios y que dependen de aquello que la gracia de Dios nunca les dio, pues su dependencia está únicamente en lo que recibieron por herencia natural. Él no toma nuestras virtudes naturales y las transforma, porque de ninguna manera ellas pueden siquiera acercarse a lo que Jesucristo quiere. Ningún amor natural, ninguna paciencia natural, ninguna pureza natural pueden alcanzar la altura de sus demandas. Pero a medida que armonizamos cada partícula de nuestra vida corporal con la vida nueva que Dios nos dio, Él irá manifestando en nosotros las virtudes que caracterizaron al Señor Jesús.

Y toda virtud que poseemos es sólo de Él.

 AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojoy examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

 

30 De Dezembro
Todas as minhas fontes são em ti“, Sal.87.7.

O Senhor nunca remenda nossas virtudes naturais, isto é, as nossas características naturais, anseios ou mesmo qualidades. Ele refaz todo o homem por dentro completamente. “Vos revistais do novo homem”, Ef.4:24; ou seja, faça com que sua vida natural se revista com todos os trajes correspondentes à nova vida. A vida que Deus implanta em nós desenvolve as suas próprias características e virtudes; não as virtudes de Adão, mas, as de Jesus Cristo em nós. Observe que, depois da nossa santificação, Deus faz perecer aquela confiança nas virtudes naturais e em qualquer poder que tenhamos obtido, até que aprendamos apenas e exclusivamente a buscar vida nos reservatórios da vida ressurrecta de Jesus Cristo. Se estiver num processo de passar por uma experiência que produz secura em sua alma, agradeça a Deus por isso.

Um sinal de que Deus está operante dentro de nós é que ele abala nossa confiança em qualquer de todas as nossas virtudes naturais, porque elas não são promessas do que vamos ser, mas, sim, os resquícios da personalidade com que Deus criou cada homem. Agarramo-nos às virtudes naturais, enquanto Deus está tentando colocar-nos apenas em contacto estreito e real com a vida de Jesus Cristo dentro de nós mesmos, que nunca pode ser descrita em termos de virtudes naturais, mas, em termos de vento que não se sabe apreender e agarrar. Não existe nada mais triste do que ver pessoas ao serviço de Deus apoiarem-se em algo que a graça de Deus nunca lhes concedeu a experimentar, ou em algo que elas próprias possam ainda possuir por um acaso da hereditariedade e por mera criação. Deus não aperfeiçoa nem transfigura nossas virtudes naturais, porque elas nunca poderão sequer aproximar-se do que Jesus Cristo deseja de nós. Nem o amor natural, nem a paciência natural, nem uma pureza natural poderão atender a nenhuma das suas exigências. Mas, naquela mesma medida que colocamos cada parcela de nossa vida em harmonia com a nova vida que há Deus dentro de nós, ele manifesta em nós essas mesmas virtudes que foram características principais do Senhor Jesus.

E cada virtude que possuímos, terá de ser exclusivamente dele…

 REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

 

Diciembre 29

“Desde entonces muchos de sus discípulos volvieron atrás y ya no andaban con él”, Juan 6:66  

Cuando Dios, por medio de su Espíritu y a través de su Palabra, te da una visión clara de su voluntad, debes andar en la luz de esa visión. Aunque tu mente y tu alma se emocionen por ella, si no andas, en la luz, caerás a un nivel de servidumbre nunca planeado por el Señor. La desobediencia mental a la visión celestial te volverá un esclavo de ideas y puntos de vista que son completamente ajenos a Jesucristo. Nunca se te ocurra mirar a otro y decir: “Bueno, si él puede tener esos puntos de vista y prosperar, ¿por qué yo no?” Debes andar en la luz de la visión que se te ha dado a ti. No te compares con los demás ni los juzgues. Eso queda entre ellos y Dios. Si discutes y argumentas cuando te das cuenta de que cierto punto de vista en el cual te has deleitado choca con la visión celestial, surgirá en ti un sentido de propiedad y de derecho personal. A ese sentido Jesucristo no le dio ningún valor y siempre se opuso a el porque lo consideraba la raíz de todo lo que era ajeno a él “…La vida del hombre no consiste en la abundancia de los bienes que posee”, Lucas 12:15. Si no lo vemos y entendemos así, es porque estamos ignorando los principios fundamentales de las enseñanzas de nuestro Señor.

Somos propensos a recostarnos y regodeamos en el recuerdo de la maravillosa experiencia que tuvimos cuando Dios nos reveló su voluntad. Si hay alguna norma del Nuevo Testamento que la luz de Dios te ha revelado y no te pones a la altura de ella y ni siquiera te sientes inclinado hacerlo, comienzas a descarriarte porque significa que nuestra conciencia no responde a la verdad. Nunca podrás ser el mismo después de que una verdad te haya sido revelada. Ese momento te señala como un discípulo de Jesucristo que sigue adelante con mayor devoción, o como un desertor que retrocede.

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojoy examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

29 De Dezembro
À vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com ele“, João 6.66.

Quando Deus, através do seu Espírito, aplicando a Palavra, nos dá e fornece uma certa revelação ou manifestação do que ele quer, temos de poder andar à luz dessa visão ainda, 1 João 1:7; nossa mente e alma vibrarão em excesso com isso; mas, se não obedecermos a essa instrução, tornar-nos-emos escravos dum ponto de vista que o Senhor nunca teve e cuja manifestação era apenas o início de algo. Não olhe, depois, para outrem para lhe confirmar: “Se ele pode adoptar essas opiniões e prosperar, por que isso não acontece comigo também?”Você tem que andar à luz da revelação que lhe foi dada, sem se comparar aos outros ou julgá-los porque não o seguem mais; isso fica entre eles e Deus. Sempre que descobrir que há uma colisão entre o que Deus lhe manifestou e um ponto de vista no qual se desvirtua moralmente e lhe traz a dúvida, começarão a surgir em si certas atitudes – um sentido de posse de bens materiais e de direitos pessoais que acha que conseguiu adquirir de Deus, coisas essas a que Jesus Cristo não dava valor. Ele era sempre contra tais coisas pessoalmente e as afrontava como a raiz de tudo o que lhe era oposto. “A vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui”, Luc.12:15. Se não estamos convencidos disso, é porque ignoramos as profundezas do ensinamento do Senhor.

Nossa tendência natural será sempre acomodarmo-nos e deleitarmo-nos à sombra das recordações das maravilhosas experiências que tivemos no passado e que já não contam em absoluto por agora – apenas a obediência a elas contará e indicará virtude. Caso exista um único preceito revelado por Deus no Novo Testamento com o qual você não se conforma e não se sente inclinado a cumprir nos seus mais elevados pormenores, isso é o início de apostasia; significa que sua consciência não atende e nunca se submete integralmente à verdade. Você nunca poderá ser o mesmo depois da revelação duma verdade. Aquele momento marcá-lo-á para sempre, para ter como prosseguir como um bom discípulo de Jesus Cristo ou retroceder como desertor infame e obstinado.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Diciembre 28

“…Si no os volvéis y os hacéis como niños”, Mateo 18:3

Estas palabras del Señor se refieren a nuestra conversión inicial; pero debemos regresar continuamente a Dios como niños, es decir, convertirnos a Él continuamente, todos los días de nuestra vida. Si confiamos en nuestras propias capacidades y no en Dios, originaremos ciertas consecuencias de las cuales Él nos hará responsables. Cuando Dios en su soberanía nos dirige hacia situaciones nuevas, debemos cuidar de que nuestra vida natural se someta a la espiritual, obedeciendo las indicaciones del Espíritu Santo. Que hayamos respondido adecuadamente en el pasado no garantiza que lo repitamos. La relación que existe entre lo natural y lo espiritual es una relación de continua conversión, pero es ahí donde con frecuencia nos negamos a obedecer. El Espíritu de Dios no cambia en ninguna situación que enfrentemos y su salvación permanece inalterable; pero, debemos vestirnos del nuevo hombre (ver Efesios 4:24). Dios nos hace responsables cada vez que rehusamos convertirnos. Él ve nuestra negativa como una obstinada desobediencia. Nuestra vida natural de ninguna manera debe gobernar. Es Dios quien debe ejercer su gobierno en nosotros.

Rehusar la conversión continua es una piedra de tropiezo en el desarrollo de nuestra vida espiritual. En nosotros existen apilamientos de obstinación desde donde el orgullo escupe al trono de Dios y dice: “No me someteré porque no encuentro esto malo”. Convertimos en dioses a nuestra independencia y terquedad y las identificamos con nombres equivocados. Lo que Dios considera como una debilidad obstinada, nosotros lo identificamos como una fortaleza. Hay áreas enteras de nuestra vida que aún no han sido sometidas, lo cual sólo se puede lograr mediante la continua conversión. De una manera lenta, pero segura, podemos reclamar todo el territorio en nosotros para el Espíritu de Dios, sometiéndolo.

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojoy examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16