Examinemos bem o nosso comportamento e voltemos para o SENHOR

 Lamentações 3:40 (BSP)

Recentemente corri para o nosso Walmart local para comprar alguma tinta para a nossa impressora. Eu não entendo por que a tinta custa mais do que a impressora, mas esse não é o meu ponto. De qualquer forma, a medida que seguia o corredor, vi alguns shorts para venda. O verão estava às portas, eu poderia usar um par de shorts, e custavam todos dez dólares. Então peguei um par de tamanho 34 shorts fora do rack e coloquei-os na minha cesta. No dia seguinte, usei o meu novo shorts e imediatamente percebi que estavam um pouco apertado. Quero dizer, eu poderia levá-los abotoados, mas aquele pobre botão estava pendurado para a vida.

Sabe quais foram os meus primeiros pensamentos a respeito do porque os shorts não couberam? Bem, aqui está o que eu não pensei. Eu não pensei, huh, eu devo ter adquirido alguns quilos a mais durante o inverno. Eu não pensei, acho que realmente não estive analisando o que comia. Nunca sequer considerei por um momento que os shorts eram muito apertados porque algo estava errado comigo.

Pelo contrário, pensei, bem, eu acho que um indíviduo recebe aquilo para o qual paga. A Walmart deve ter medido mal estes shorts. Aqui está o meu ponto: apontando o dedo para a direção errada nos mantém fora da abordagem do verdadeiro problema. A capacidade de negar-nos a nós mesmos começa com uma avaliação honesta sobre o local onde qualquer problema reside. Afinal, por que você quererá (ou mesmo necessite) se render ou sacrificar-se se tudo na sua vida já estava em ordem? Por que você precisaria fazer uma mudança de vida se você não é o culpado? Quem esperaria que você admita um delito se a culpa é de outra pessoa ? Negar-nos a nós mesmos significa perceber a verdade de que “Não há ninguém que seja justo. Ninguém.” (Rm 3:10 BSP). Isto exige reconhecer que não somos excluídos do “Todos pecaram e estão privados da glória de Deus.(Rm 3:23 BSP). Exige fazer a oração arriscada do rei Davi: “Examina-me, ó Deus, e conhece o meu coração” (Sl 139 BSP).

Negar-me a mim mesmo começa com olhar no espelho da sala de vestir da vida e admitir que o problema não é com os shorts.

Negando hoje

Leia 1 Coríntios 6:9-11. Já foi alguma “enganado” em alguma área de sua vida, negando que o problema é consigo mesmo? Faça esta breve oração do Salmo 139: “Examina-me, ó Deus, e conhece o meu coração; põe-me à prova e conhece os meus pensamentos. Vê se eu sigo pelo caminho do mal e guia-me pelo caminho eterno. “(vv. 23-24 BSP). Agora escute. Tenha ouvidos para ouvir. Que verdade sobre você Deus lhe está revelando? Não procure usar palavras suaves ou uma elegância pretensiosa. Anote-o e renuncie-o hoje.

…pois todo o homem é escravo daquilo que o domina. 2 Pedro 2:19 (BSP)

Quando a mamãe não está feliz, ninguém é feliz.” É meio engraçado dizer isso, mas você sabe que é verdade. Independentemente se você é uma mãe, aposto que tem experiência em primeira mão do poder de uma mãe infeliz sobre o humor do resto da sua família. E o oposto também é verdade. Às vezes a razão pela qual ela não está feliz é o facto de ter permitido que outros membros da família ditem o seu quadro de espírito. Todos – mães, pais e crianças – podem desistir de muito controle para com os outros, permitindo que alguém ou algo além de Deus oriente as suas emoções para cima ou para baixo.

Quem é o primeiro? Deus ou o seu adolescente problemático? Quem está no comando? O Príncipe da Paz ou o seu filhinho de dois anos? São os problemas e as explosões dos membros da sua família muito importante para a sua atenção? Obviamente, devemos amar as nossas famílias. Mas se um membro da família consistentemente tem o controle da nossa mente e das nossas emoções, pode ser um indicador de que Deus está sendo substituído. Jesus nos diz, “Se alguém vier ter comigo e não me tiver mais amor do que ao pai, à mãe, à mulher, aos filhos, aos irmãos e às irmãs e até a si próprio, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14:26). Na cultura judaica, o ódio era usado para expressar “uma forma menor de amor”. O que Jesus está dizendo é que o nosso amor por Deus deve superar o amor pela nossa família.

Agustinho, um líder cristão da era primitiva, usava o termo “amores desordenados” quando se referia aos objectos legítimos de amor que funcionavam fora de ordem, muito parecido com uma camisa desabotoada. Amar e honrar os seus pais é uma coisa boa, é até mesmo um dos dez maiores mandamentos de Deus. Amar a sua esposa ou o seu marido é uma coisa realmente boa, é uma maneira pela qual imitamos o coração de Jesus. Mas a centralidade e a magnitude absoluta do nosso amor a Deus, expressas como adoração, só podem ser aplicadas em uma direção. Deus não compartilhará o trono do seu coração com seu cônjuge, seus filhos ou seus amigos. Ele não vai comandar os seus “amores desordenados”. Em vez disso, como o Pai perfeito que ele é, vai esperar pacientemente para que você retorne ao seu primeiro e melhor amor.

Então e só então você estará livre para amar bem os outros. Ou deixe-me dizê-lo desta forma: nós amamos os outros melhor quando amamos mais a Deus.

Negando Hoje

Que pessoa ou pessoas importam mais para você neste mundo?

Existe um relacionamento na sua vida que parece ser o fator determinante para que esteja feliz e alegre ou triste e deprimido?

Pode encontrar amores desordenados nos seus relacionamentos familiares?

Arrependa-se pelas suas prioridades de relacionamento equivocadas e peça ao Senhor para ajudá-lo a mudar a sua prioridade de volta para ele.

No monte Sinai fizeram um bezerro de ouro e adoraram aquele ídolo de metal fundido; trocaram Deus, que era a sua glória, pela imagem de um animal que come erva. Salmos 106:19,20 (BSP)

Enquanto Deus dava a Moisés os Dez Mandamentos no Monte Sinai, o povo que o esperava embaixo começou a chorar por causa da sua demora. Moisés havia deixado o seu irmão, Aarão, no comando, e o povo clamou por um deus para liderá-los – um deus que podiam ver, tocar e adorar. Então, juntaram todo o ouro que podiam e fizeram um bezerro de ouro para adoração. Um pouco irônico, não acha? Exactamente no momento em que Deus falava a Moisés sobre o cuidado para não possuirem outros deuses, o povo abaixo do monte estava fabricando o seu próprio deus personalizado.

Não parece dificil observar que não se trata de uma boa troca. Eles trocaram o Deus criador por um deus da sua própria criação. Mas será que somos nós realmente diferentes deles? Nós substituímos Deus com estátuas da nossa própria criação – mudança constante de casa, uma promoção que inclui um escritório no canto, uma equipa que ganha o campeonato, um corpo que com características personalizadas e em boa forma. Trabalhamos arduamente para criar os nossos próprios bezerros dourados.

Talvez esteja a pensar que isso é um exagero. Afinal de contas, alguém pode decidir seguir qualquer alvo ou realização – qualquer coisa que alguém se dedique a alcançar! – e torná-la em idolatria. E estaria completamente certo. Qualquer coisa, em nossa vida, pode tornar-se um ídolo, uma vez que se torne um substituto para Deus. Por outras palavras, qualquer coisa que se torne o propósito ou a força motriz da sua vida provavelmente tenha algum tipo de idolatria por trás.

Mas nunca é um bom negócio. Por que troca a oportunidade de conhecer o Principe da Paz por uma substância que apenas providencia uma liberdade temporária? Será que pode comparar-se as posses e riquezas que enferrujam e perdem o valor para sempre com as riquezas eternas que nunca desaparecerão? Pode o que a sua mãe ou pai, ou um professor, um amigo ou o seu empregador pensa sobre si alguma vez importer mais que a afirmação de quem o ama mais e conhece melhor?

Êxodo 32 registra o que aconteceu quando Moisés desceu da montanha. Moisés estava irado, mas Deus muito mais. Moisés derrubou o bezerro de ouro para o chão, transformou-o em pó e o espalhou na fonte de água para o povo, e depois fê-los beber a água. Eles aprenderam da maneira mais difícil o que acreditavam iria satisfazê-los, o que a verdade, no final tinha tinha um sabor amargo.

Negando Hoje

Faça uma lista de vários atributos de Deus, incluindo o máximo que pode imaginar (exemplo: o seu amor, poder, paz que ultrapassa o entendimento, proviso, etc.).

Agora, olhe para essa lista e faz uma auto-avaliação honesta: o que você “criou” como substituto para qualquer um dos elementos dela na sua vida? (Alguns exemplos: o que os outros dizem, provisão para si mesmo, sucesso e realização).

Confesse os seus próprios bezerros dourados.

Não tenhas outros deuses além de mim. Não faças para ti imagens esculpidas representando o que há no céu, na terra e nas águas debaixo da terra.               Êxodo 20:3,4 (BSP)

A idolatria não é apenas um dos muitos pecados; pelo contrário, é o único grande pecado do qual os outros vêm. Não é um problema; é o problema. Pode haver uma centena de milhões de sintomas diferentes, mas a questão é sempre idolatria. Se analisar qualquer luta que está lidando, eventualmente, descobrirá que por baixo trata-se de um deus falso. E até que esse deus seja destronado, você não terá vitória.

Deus não está interessado em competir contra os outros ou mesmo ser o primeiro entre muitos. Ele não fará parte de nenhuma hierarquia. Deus declina a sentar-se no topo de um fluxograma organizacional. Ele é a organização. Ele não está interessado em ser Presidente do Conselho. Ele é o Conselho. Ele é Deus, e a sua vida não vai funcionar até que tudo quanto ocupa algum lugar ao redor da mesa na sala de reuniões do seu coração for demitido. Não pode haver deuses parciais, deuses honorários, deuses interinos, e muito menos assistentes para os deuses regionais.

Deus projetou e criou o universo para funcionar dessa forma, e ele é o único proprietário e operador dele. Logo, apenas o único e verdadeiro Deus sabe como o mesmo funciona. Ele é o único Deus que pode nos ajudar, direcionar, satisfazer e salvar.

Ao lermos Êxodo 20, vemos que Deus tinha sido substituído por deuses de imitação. Ele diz a Israel para romper com o Panteão (“muitos deuses”). Toda atividade relacionada a esses deuses é cancelado. Ele certifica-se que as pessoas entendem que ele é o único. Ele é o Senhor Deus.

Poderá pensar que isso não é um problema hoje. Mas acho que a nossa lista de deuses é muito mais extensa que a deles. Poderemos não ter o deus do comércio, o deus da agricultura, o deus do sexo, ou o deus da caça. Mas temos carteiras, automóveis, entretenimento para adultos e desportos. Simplesmente chamá-los por nomes diferentes não muda quem eles são realmente.

Quando alguém ou algo, bom ou mau, substitui o Senhor Deus na posição de glória na sua vida, então por definição o mesmo torna-se um deus.

Negando hoje

O que mais chamou a sua atenção esta semana?

O que a sua caderneta de cheques, calendário ou a lista de atividades revelam sobre as suas prioridades?

Que pessoas ou coisas continuam infiltrando-se na sua mente e bloqueando a sua visão sobre Deus?

Seja honesto aqui; veja se não conseguirá identificar pelo nome alguns dos deuses que têm erguido tronos na sua vida.

Jesus garantiu-lhe: “Teu irmão há-de ressuscitar.” “Eu sei”, respondeu ela, “que no ultimo dia, quando todos ressuscitarem, também ele há-de ressuscitar para a vida.” Tendo dito isto, clamou em alta voz: “ Lázaro, sai cá para fora!” “Ele saiu, com as mãos e os pés ligados em faixas e a cara tapada com a mortalha. Jesus ordenou aos presents: “Desatem-lhe as ligaduras para ele poder andar.”             João 11:25-26, 43-44 (BSP)

Lázaro não teve uma experiência de quase-morte. Até mesmo o Miracle Max de A Noiva Princesa teria percebido que ele não estava simplesmente “quase que totalmente morto.” Ele estava miseravelmente doente, e havia falecido. Expirou. Bateu as botas. No entanto, você querará dizer, não se enganem sobre ele: Lázaro morreu. As suas irmãs lavaram o seu corpo e enrolaram-no em linho. Chorando, eles deitaram o seu cadáver numa cave-túmulo e fecharam a entrada com uma pedra plana.

Nós gostamos de ler esta história porque termina tão bem, com Jesus chegando aparentemente demasiado tarde – quatro dias depois – apenas para ressuscitar dramaticamente a Lázaro dos mortos e dar-lhe de volta a sua família.

Eu me pergunto, porém, se dedica tempo suficiente para pensar sobre as implicações para as nossas próprias vidas. Na nossa excitação sobre a parte da ressurreição, esquecemos que você não pode ressuscitar alguém dos mortos a menos que ele ou ela esteja realmente morto? Será que realmente percebemos – que precisamos ser pessoas mortas nós mesmos antes de Jesus infundir a sua vida em nós?

2 Coríntios 5:17 diz, É que quando alguém está unido a Cristo torna-se uma pessoa nova. As coisas antigas passaram. Tudo é novo.” Colossenses 3:3 o diz de forma mais clara: “Porque já morreram e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” A mensagem é óbvia: quando Jesus nos convida a segui-lo, é um convite para morrer. Só quando morremos para nós mesmos é que poderemos realmente viver para ele. Esse tipo de rendição vai contra todos os instintos que temos. Queremos aguentar. Parece que não queremos renunciar. Nos recusamos a largar algumas coisas. Mas é somente quando morremos de nós mesmos que podemos finalmente experimentar o poder da ressurreição de Cristo.

Negando hoje

Alguém disse que a parte mais difícil de morrer para nós mesmos é que temos de fazê-lo diariamente.

Escreva uma oração para hoje, colocando a sua vida aos pés de Jesus. Reafirme que ele não é apenas o seu Salvador, mas o seu Senhor. Não se apresse com isso, e em espírito de oração escreva essas com honestidade. Para hoje, faz uma lista de atitudes, prioridades ou pecados -que parte de você – você vai permitir morrer.

Ninguêm pode seguir Jesus sem negar-se a si mesmo. Jesus coloca-o de forma muito simples: “quem quer ser meu descípulo deve negar-se” (Lucas 9:23, a ênfase acréscida).

Negar-se a si mesmo não é apenas uma idéia de dizer não a si mesmo -ou até mesmo resistir a si mesmo. Não é simplesmente desistir de algo que realmente quer. É muito mais do que deixar para receber depois algo de gratificação. A idéia de negar a si mesmo baseia-se no facto de deixar de olhar na sua própria direção. É declarar na prática: “Eu escolho Jesus ao invés da minha família. Eu escolho Jesus acima dos objetivos da minha carreira. Eu sou dele completamente. Eu escolho Jesus ao invés da bebedeira. Eu escolho Jesus acima do que as outras pessoas poderão pensar de mim.”

Um seguidor toma a decisão diária de negar a si mesmo e escolher Jesus, ainda que isto lhe custe tudo.

Tal como introduzido aqui, depois dos 25 dias aprendendo o que significa seguir a Jesus, os devocionai dos próximos 25 dias abordarão a respeito do negar-se a si mesmo, como pode um seguidor de Jesus negar-se a si mesmo todos os dias? Junte-se a nós e meditemos juntos. Partilhe as lições aprendidas, dificuldades ou motivos de oração no espaço reservado aos comentários; leio e respondo a todos eles. Siga e divulgue o blog.

SENHOR, eu sei que ninguém é dono do seu destino; ninguém pode controlar a sua vida. Jeremias 10:23 (BPS)

Eu tenho um GPS no meu telefone, mas raramente uso-o. Costumo pensar que sei para onde vou, mesmo quando não sei. Frequentemente, cada vez que eu uso o GPS, é porque tentei encontrar algo antes por mim mesmo, mas consegui achar. Quando finalmente digitar o destino no meu telefone, a primeira pergunta que vem na tela é esta: “direções a partir da localização atual?” Em outras palavras, “você quer começar onde está?”A resposta a essa pergunta parece óbvia o suficiente, certo? Claro que quero começar daqui. Nem sei onde está “aqui”, mas estou confiante que quero começar aqui. Tão logo que eu responda a essa pergunta afirmativamente, o GPS começa a calcular a minha rota – não por onde comecei antes de perder o meu caminho, não a partir da direção que deve ser dirigido ou de um ponto mais longe ao longo da minha jornada, mas da direita onde estou atualmente localizado.

Então, por que uma resposta tão óbvia parece fisicamente enganar as pessoas espiritualmente? Descobri que a razão mais comum pelas quais as pessoas não seguem Jesus é que elas querem começar suas vidas juntas primeiro. Elas querem obter algumas coisas ao quadrado afastado ou cuidar de alguns problemas pessoais. Querem começar a jornada a partir de outro lugar ao invés dos lugares onde estão atualmente localizados.

Quando Jesus convida você a segui-lo, ele quer que você comece agora mesmo a partir de sua localização atual. Não precisa voltar para onde começou. Você não precisa ficar um pouco mais perto por conta própria.

Ele alcança-o com graça e amor e convida-o a segui-lo. Sentindo-se fraco? Dependa de sua força. Preso no pecado? Encontre a liberdade no seu infinito amor. Já passou por esta estrada? Saiba que ele ainda está pacientemente esperando por você para voltar para casa. Perdido? Confie nas direções dele. Jesus quer que você comece a segui-lo direitamente onde você está – e ele quer que você comece agora mesmo. Promete ser uma jornada incrível.

Seguindo hoje

Descreva a sua localização espiritual atual.

Longe de casa? Perdido fora da estrada em algum lugar? Mais perto do que você já foi? Escreva uma oração comprometendo-se a seguir Jesus onde quer que ele o conduza. Afirme o seu desejo de segui-lo, agora mesmo, a partir daqui.

 

Oração de um seguidor

Deus, eu quero ser um seguidor do seu filho, Jesus. Estou aprendendo que seguir Jesus significa crescer mais perto dele e se tornar mais parecido com ele. O problema com Jesus é o seguinte é que eu me conheço, e eu não sou como ele. Seus personagens, amor e retidão não combinam com o meu verdadeiro eu. Preciso da sua ajuda para seguir. Não posso fazer isso sozinho. Peço pela sua graça e força para que tenha tudo o que necessário para ser mais parecido com Jesus. Nesta viagem de compreender o que seguir Jesus significa, abra os meus olhos para ver que seguir é mais sobre quem você é do que quem eu sou. Eu quero conhecê-lo. Assim como você me conhece – melhor até do que eu me conheço! Quero conhecê-lo de verdade.

Hoje eu estou entregando minha força de vontade para ser um melhor eu e, em vez disso, permitindo que você trabalhe em mim, tornando-me mais como você. Obrigado por me ajudar a segui-lo. Obrigado por me levar a este devotional onde o meu desejo de seguir mais de perto é alimentado. Eu não posso ser um seguidor sem o seu Espírito Santo me mostrando como fazê-lo. Meu desejo de ser um seguidor de Jesus é tão real quanto a minha fraqueza. Então eu te dou o meu coração, mente e corpo para seguir. Obrigado porque você não só me levar, mas também me mostrará como seguir. Estou pronto. Pode liderar-me.

“Entrem pela porta estreita! Pois é larga a porta e espaçoso o caminho que vai dar à perdição e são muitas as pessoas que para ali se encaminham. Mas é estreita a porta e apertado o caminho que vai dar à vida eterna e são poucas as pessoas que o encontram.” Mateus 7:13-14 (BSP)

Certa vez, estava regressando para Louisville vindo de uma viagem rápida para Cincinnati. A rodovia entre Cincinnati e Louisville é chamada de I-71. É um tiro reto, e a viagem demora cerca de uma hora. Estava indo para casa em tempo de sobra para jantar com a minha família. Tinha o rádio ligado, era um dia bonito, e desfrutava da viagem. Depois de cerca de uma hora sabia que estava chegando perto de Louisville, mas para minha surpresa vi um sinal que dizia “Bem vindo a Lexington”. Eu tinha cometido um erro frequente que outros me falaram a respeito. Bem fora de Cincinnati há um lugar onde, se não for cuidadoso, você poderá facilmente perder-se e seguir a I-71 em direção a Lexington. Por quase uma hora estava completamente perdido pensando que estava na I-71, quando na verdade durante o tempo todo estava na I-75. Nunca me ocorreu que poderia estar seguindo o caminho errado. Com o rádio tocando, eu cantando a música, estava completamente alheio. Eu nunca permiti a possibilidade de pensar que estava no caminho errado.

Jesus observou um problema semelhante em relação a duas portas na vida, das quais uma é facilmente usada por muitas pessoas. A outra facilmente se perde-apenas alguns vão encontrá-la. Mas muitos dos que estão na estrada lotada acham que estão seguindo a direção certa. “muitos vão me dizer naquele dia, ‘ Senhor, senhor, não profetizamos em seu nome e em seu nome expulsar demônios e em seu nome realizar muitos milagres? ‘ Então eu vou dizer-lhes claramente, “Eu nunca conheci você. Longe de mim, seus malfeitores! (Mateus 7:22-23). Essas palavras são bastante preocupantes. Eles estavam ocupados fazendo as coisas certas, mas as suas realizações não os tornou em verdadeiros seguidores. Eles nunca conheceram Jesus, e ele não os conhecia. Felizmente para você e para mim, ainda há tempo para recuperar dos nossos erros.

Seguindo hoje

Algumas perguntas para sua jornada:

A sua vida reflete o que você diz que acredita?

Você acha que está no caminho certo por causa do que já fez?

Você conhece Jesus, e ele conhece você?

Não espero que tenha respostas rápidas e prontas para estas perguntas.

Mas lhe faria bem se “encostasse” para meditar sobre elas hoje.

Ele provou o vinagre e disse então: “Tudo está cumprido.” Depois inclinou a cabeça e morreu.” João 19:30 (BSP)

A ultima palavra que Jesus proferiu na Cruz foiTetelestai, que quer dizer “está terminado” ou “está consumado”. Para os gregos da epoca, o termo era escrito em documentos oficiais para indicar que um determinado projecto de lei hvia sido executado na integra, que nem um carimbo de borracha na qual esta escrita Pago. Portanto, quando ouviram Tetelestai, as pessoas que estavam ao pé da Cruz (e incluindo aqueles que lêem o que João conta) podiam facilmente entender que a morte de Jesus Cristo tinha servido para pagar na integra os seus proprios pecados.

Ao lermos “está consumado”, não percebemos automaticamente o significado completo da palavra. Ouvimos a palavra de uma forma não emotiva. Soa, para nós, como “Game Over”, como qando o treinado diz para o seu adjunto alguns segundos antes do fim de uma partida que está perdendo: “Está terminado; Estamos feitos.” Mas não foi desse jeito que Jesus usou a palavra. Ele estava consumado, tudo bem consumado, ganhando.

Veja que o termo também era usado no mundo grego como um grito de vitória. As pessoas gritavam nas ruas quando um exército conquistador regressava de uma batalha: “Tetelestai! A batalha acabou! A vitória é nossa! Celebremos!”

Seguimos um Rei vitorioso, no entanto muitos seguidores de Jesus ainda usam a palavra como se tratasse de uma crise solitária. Definimos a palavra como uma perda. Andamos com as cabeças inclinadas, ombros descaídos e frustados na nossa batalha contra o pecado e perplexos sobre o nosso próximo movimento.

Na Cruz, Jesus Cristo venceu a batalha dos séculos. Na Cruz, ele estava fazendo duas declarações decisivas: 1. Que ele tinha pago integralmente toda a dívida do pecado de toda a humanidade, e 2. Ele estava declarando a vitória para nós também. “Somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” (Romanos 8:37, ACF).

Seguindo Hoje

Que pecado está ameaçando derrotá-lo?

Está desencorajado e fracassado, ou ousaria acreditar que o pecado já foi derrotado?

Escreve uma “oração do vencedor” sobre as suas batalhas. Não escreva como se a vitória ainda não tivesse sido alcançada;

Reivindica uma vitória decisiva hoje. Tetelestai!

Venham ter comigo todos os que andam cansados e oprimidos e eu vos darei descanso.  Aceitem o meu jugo e aprendam comigo, que sou manso e humilde de coração. Assim o vosso coração encontrará descanso, pois o meu jugo é agradável e os meus fardos são leves.” Mateus 11:28-30 (BSP)

A maiorira das preocupacoes que pesam sobre si nao veem de Deus. Problemas familiares, desemprego, locais de trabalho tóxicos, doenças crônicas, e preocupacoes de todos os tipos – esses encargos podem surgir a um pai, um estudante, um lider de familia ou um responsavel de outrem. Alguns deles podem ter aparecidosobre a tua vida apesar da “vida correcta” que vive.

Quando Jesus nos convida a compartilhar o seu jugo, de alguma forma o fardo fica mais leve. O fardo dele nao nos pesa. Jesus disse: “o meu fardo é leve.

Quando Jesus disse “venham ter comigo todos os que estao cansados e oprimidos”, ele se referia a todos. Àqueles que carregam um fardo pesado há bastante tempo e, não fazem ideia sobre quão leve é viajar sem ele; àqueles que não conhecem outra maneira de viver; todos os que estao cansados de assumir uma carga podem se achegar a Jesus. Em Jesus, o jugo se torna fácil, porque o peso mudou. Os fardos que pareciam ser esmagados, sao empacotados com o dele. As preocupacoes que dificilmente poderiamos suportar, já podem ser geridas. Elas fazem parte do nosso chamado como pai, estudante, etc. passamos a achar que podemos fazer “tudo através de Cristo, que nos dá força” (Filipenses 4:13). Eu amo a maneira como A Mensagem parafraseia o convite de Jesus: “ Mantenha a sua companhia comigo e aprenderá a viver livre e levemente” (Mateus 11:30 MSG). Ter jugo com ele é a melhor forma para confiar e orar.

Seguindo Hoje

Os nossos fardos veem de todas as formas, tamanhos e durações, e eu nao me surpreenderia se você senti-se presa em alguma coisa. Tente isto: levante as suas mãos e mantém as palmas voltadas para cima. Agora, imagine o seu fardo sobre as suas mãos. Leve a ele o seu fardo a medida que ora e peça-lhe que lhe ajude a viver livremente a media que o segue.