Archive for the ‘Relatório de livros’ Category

Saudações.

Neste relatório eu vou escrever as lições que aprendi através da leitura do livro acima descrito e alguns comentários relacionados ou mesmo até o que eu esperava que acontecesse.

Prefiro usar alguns sinais para fazê-lo entender  a minha descrição em determinado momento, por exemplo:

*Descreve as “Lições” aprendidas.

– : Descreve “Comentários”

#: Refere-se a “O que eu esperava que acontecesse”

 Introdução

Percebo que o autor para aumentar a minha criatividade quis criar um cenário que favorecesse a minha imaginação por isso mistura a prosa, poesia com a forma como a Bíblia apresenta o acontecimento.

*Aprendo que nem sempre quando eu sofro é porque eu fiz alguma coisa para merecer tal sofrimento, as vezes é a vontade de Deus pra me moldar, testar enfim, Ele tem suas razões, mas nem sempre o meu eu leva-me a entender isso.

Deus não trabalha com a “lei da retribuição” – esta lei é parecida com o ditado “a que se faz, a que se paga” pois se assim fosse eu não estaria viva hoje, seria consumida já há muito tempo!!

– Job me ensina um padrão de vida, pois ele além de ser íntegro, justo, ele não preocupava-se só consigo mesmo, mas também com sua família, tanto é que intercedia por eles e oferecia holocaustos pelos pecados de seus filhos (Job 1:5),

*Bom, no livro tem uma parte que diz: que Job tinha as bênçãos de Deus, isto é, filhos, riqueza, muitos animais… tal como diz em Deuteronómio28:2-4, mas chega aquela parte da história em que Job perde tudo isso, logo, o que o leva a pensar? Que já não tem as bençãos do Senhor, logo, tem a ira do Senhor, mas na realidade não era isso que se passava. Com essa parte, consigo perceber que nem tudo que parece é! Fácil é dizer isso mas o que eu acho mesmo complicado é perceber. Porque Job não sabia o que se passava nos “bastidores“ muito menos eu saberei no meu momento(na minha vez)…

-Uau só depois desta leitura, eu consegui verdadeiramente imaginar um pouquinho da dor que Job sentia, que tempo mais que difícil ele passou, mas se Deus permitiu é porque sabia que ele iria aguentar!

*Com a conversa entre Job e os seus amigos quando ele entrou em desespero, eu percebo a cautela que devo ter ao falar de Deus para alguém, eles julgavam com certeza que Deus trabalhava com a lei da retribuição, que tinha alguém certo e alguém errado nesta história, e como sabiam que Deus era/é perfeito o errado aqui só pode ser o Job, por mais que Job se defendesse eles insistiam nisso, e um deles falava coisas sobre Deus que estavam erradas, estava equivocado seu entendimento, e Deus disse no final da história: ele não disse de mim o que era certo, daí a cautela que devo ter ao falar de Deus, poderei desviar alguém com isso(ou não).

*O sofrimento amargo de Jó leva-o a uma posição além do simples lamento, uma posição em que parece que ele enfrenta a Deus pelo facto de estar sofrendo sendo inocente, é aí onde devo ter cuidado. Ok, estou sofrendo mas independentemente de tudo devo lembrar que Deus é meu Senhor, e que nunca falha!! Por isso, respeito acima de tudo.

Por isso, Deus vem falar com Job, e leva-o a olhar o mundo com outros olhos, num outro prisma, leva-o a ver quem realmente é Deus, e principalmente põe Job no seu lugar e o mais incrível é que foi através de perguntas retóricas!!!

#Sinceramente eu esperava que Deus viesse e passasse a sua mão na cabeça de Job e desvendasse o segredo, entendendo seu comportamento mas, Deus como sempre me surpreende e faz diferente e melhor, talvez se tivesse passado a mão, numa outra ocasião Job poderia repetir o erro (talvez por não tê-lo percebido), ou mesmo eu poderia fazê-lo, vendo o exemplo de Job, mas Deus corta o mal pela raiz e devolve cada personagem com seu papel e limites!

E por fim, Deus mostra a eles que estava tudo sob controle e usa as pessoas, familiares distantes de Job para abençoar a ele, devolvendo sete vezes mais aquilo que Job tinha.

Conclusão

Bom, concluindo quero agradecer pelo livro achei-o bem interessante e com uma estrutura bem diferente e entusiamante, levou-me a desenvolver meu senso criativo(que é muito pequeno). Despertando-me a curiosidade/vontade de ler o livro de Job.

Abraços!

Luzala B. Mayassi – Hikari (Luz)ª

O e-book “Perguntas de quem sofre”, pode ser baixado legal e gratuitamente clicando aqui.

ª A Luzala B. Mayassi – Hikari vive no lado oposto do Atlântico e é minha liderada. Tenho aprendido muito com a sua fome por Deus que está em constante crescimento. Temos partilhado bons momentos no “Rasgar o coração” (discipulado online) e em outras plataformas.

Advertisements

De acordo com a minha leitura percebi a partir da primeira parte do livro, na qual constam seis capitulos, a diferença entre ser seguidor e fã, ou seja, aspectos relacionados aos dois grupos através de determinadas situações e descrevendo a atitude de um seguidor e de um fã diante da situação em causa.

Ser fã é admirar alguém ou alguma coisa sem ter contacto fisico e Ser seguidor é seguir alguém , tentar ser igual a essa pessoa em suas atitudes e comportamentos.

Características de um fã e de um seguidor

– Para o fã, enquanto está tudo bem com o seu admirador – este será sempre uma boa pessoa até descobrir algo vergonhoso sobre o mesmo e passa a ser a pior pessoa.

“Isso ja aconteceu comigo, eu admirava muito alguém e tinha-o como exemplo mas, no pequeno erro que cometeu eu me decepcionei e foi muito dificil voltar a ter o mesmo relacionamento”

– Ser fã é ser um admirador por um tempo determinado.

– Ser seguidor exige algo de mim mas, ser fã não exige nada.

Muitas vezes me considerei seguidora mas não conseguia expressar realmente o que eu era. No meu ponto de vista o que leva a crer que somos seguidores é o simples facto de irmos a igreja, fazermos parte de um grupo, e innclusive sermos lideres de um departamento na igreja (simples funções ou cargos nos levam a pensar que somos seguidores de Jesus, o que não é verdade).

Aprendi que ser seguidora de Jesus é um compromisso que precisa ser renovado diariamente, porque a partir do momento que assumo um compromisso com Jesus, o meu desejo é que seja um mar de rosas mas a Palavra de Deus fala que passarei por aflições, mas Jesus estará comigo para me ajudar em cada uma delas. Preciso entender que na jornada de seguidora de Jesus haverá mudanças em minha vida e sacrifícios de minha parte por mais difícil que sejam. Não tem como ser seguidora sem que Jesus interfira na minha vida. A decisão e o compromisso devem andar juntos. Eu decidi seguir a Jesus e devo me comprometer a segui-LO. Porque se  decidir que vou seguir a Jesus hoje, amanhã posso mudar de idéia (pelo facto de ver alguém que se diz ser cristão e que Deus tem um plano maravilhoso em sua vida porém passa por dificuldades e mesmo assim continua seguindo a Jesus, o que parece loucura mas, acontece).

Eu devo acreditar em Jesus e segui-LO, pois ele definiu um tipo de relação que terei com Ele, e ser fã dele não faz parte dos seus planos para minha vida.

Ao longo da leitura notei algo que ja sabia, a diferença entre ser íntimo e conhecer. Nem todo aquele que conhece alguém é íntimo dessa pessoa mas, todo aquele que é íntimo de alguém conhece-o .

Quando conheço Jesus, conheço-O apenas de ouvir falar, mas quando me torno íntimo é porque houve momentos e experiências juntos. Para que haja intimidade com Jesus é necessario estar disponível em conhecê-LO a cada dia de uma maneira diferente, porque Ele nunca vai agir hoje como agiu ontem.

Algo que eu gostei muito foi o que o Kyle mencionou sobre a mulher prostituta, Jesus estava em um jantar mas, não foi recebido com honra como a mulher o fez, a mulher conhecia Jesus de ouvir falar sobre os seus sermões mas, sabia que tudo que  precisava estava a frente dela e não se importou com o que falariam acerca dela, ela se derramou as pes de Jesus. Isso chama-se intimidade. O seu alvo era Jesus e  simplesmente focou no que queria e conseguiu.

Jesus tem de estar no centro da minha vida, e segui-LO tem de ser algo que devo fazer com amor e prazer sem se importar o que as pessoas vão dizer, o mais importante é o que Jesus vai achar e não a minha reputação diante dos homens.

Bom, sendo seguidora de Jesus, provavelmente estarei sujeita a certas regras e doutrinas estabelecidas na igreja onde estou inserida mas, essas regras não me tornam seguidora e cumpri-las, faz parte da obediência a autoridade instituida por Deus. Essas  regras e doutrinas não devem estar acima do meu relacionamento com Deus. Se eu não me esvaziar e deixar  Ele agir não vou conseguir ser seguidora.

Sempre que eu tentar ser seguidora pelo meu esforço não vou conseguir e estarei sempre frustada e decepcionada porque nada dá certo.

Com ajuda do Espírito Santo posso suportar as cargas ou dificuldades que encontro na minha caminhada.

“ Quando sou seguidora de Jesus a minha vida deve reflectir a minha crença, por isso é que Crer e Seguir devem andar juntos” não basta simplesmente crer ou acreditar tenho que seguir.”

Na segunda e Terceira parte do livro, entendi que Deus tem um propósito p’ra todo aquele que decide segui-Lo.

Mas nessa caminhada haverá momentos dificeis que terei de suportar. A minha decisão em segui-LO vai deixar algumas pessoas decepcionadas e nem todas vão gostar da decisão que tomei.

Ser seguidora de Jesus vai envolver tudo em minha vida começando por renunciar ou negar o meu eu, tomar a minha cruz e seguir  para que Deus tome conta de tudo.

Jesus quer que O siga mas, eu devo tomar esta decisão, por isso é que Deus quando criou o homem  deu-lhe a liberdade de escolha “o livro arbítrio” .

Mas, mesmo assim ainda noto coisas erradas em minha vida, mesmo com as advertências que Deus tem me dado.

E só alguns entendem e aceitam como sua vida pode ser diferente quando seguirem a Jesus.

Jesus me ama e tem o melhor para a minha vida, Ele simplesmente deseja que O siga. Ele tem e me ensina que tipo de relacionamento quer ter comigo. Um relacionamento íntimo, de entrega total, de dependência, e de renúncia.

Existem coisas que só irei  entender quando passar por uma determinada situação, porque enquanto eu não experimentar não vou entende-lo.

“Um seguidor aprende a negar a sua natureza diariamente por amor a Jesus”

Meus Momentos

  • Quando me foi feita a pergunta se era seguidora de Jesus fiquei sem palavras, nervosa não só pelo facto de ter sido o mano René a perguntar mas, pelo facto de não saber que resposta dar logo de primeira. Eu era fã de Jesus e não sabia, eu me identifiquei com algumas coisas no livro, principalmente com as características de um fã acima mencionado.
  • Antes de entregar a minha vida a Jesus eu já gostava de ler a Bíblia mas, não de forma séria, eu era muito “aparecedora” de tal maneira que algum tempo depois comecei a lê-la para mostrar as outras meninas que eu sabia mais de Deus pois achava que quanto mais mostrar que sei, serei respeitada por elas, e só lia para conhecer, era muito curiosa, andava com a minha Bíblia mas, não praticava nada do que eu lia; nunca fui de falar atoa ou ofender e tal mas, era muito e ainda sou crítica em certos aspectos.
  • Quando realmente decidi seguir a Jesus foi muito difícil principalmente pelo ciclo de amizade que tinha pois nem todas eram cristãs compromissadas, e as que se diziam cristãs eram católicas. Quando assumi o meu compromisso eu tive que me afastar um pouco delas porque queria ter um compromisso com Deus , não era apenas uma mera decisão mas, algo muito mais profundo, eu queria mudar de vida (se bem que não havia muita coisa pra mudar) mas, o que mudou foi suficiente para ser seguidora hoje, mesmo com alguns “cai e levanta” mas, estou firme em Deus.
  • Aprendi muito com esse livro. Abriu os meus olhos em vários aspectos, porque definitivamente no princípio da minha conversão eu era fã e simplesmente convencida de que era cristã e não seguidora e cristã convertida…

Hoje eu posso dizer que conheço e sou seguidora de Jesus por ter o seu zoe (vida) em mim e por ter experiências com Ele.

Muito obrigada!!

Valéria Quitini “L’enfant de Dieu”ª

Eu não sou uma fã!

ª A Valéria “Princesa” vive na costa atlântica e temos partihado bons momentos através do discipulado online.