Posts Tagged ‘Mateus 5:41’

11 De Setembro
Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros“, João 13.14

Ministrar conforme as circunstâncias e oportunidades do dia-a-dia. Ministrar conforme as circunstâncias se nos apresentam, não significa escolher as situações em que queremos fazer viver, mas, sermos exclusivamente de Deus dentro de qualquer situação possível na qual ele nos colocar. As características que manifestamos nas circunstâncias normais de nossa vivência revelam-nos como seremos nas outras.

As coisas que Jesus fazia eram do tipo mais humilde e vulgar e isso era indício claro de que é necessário todo o poder de Deus em mim para que eu faça as coisas mais comuns do jeito dele. Serei capaz de usar uma toalha como ele o fez? Toalhas, bacias e sandálias, todas essas coisas banais e comuns de nossa vida normal serão sempre as que melhor revelam de que estofo somos. É preciso ter em nosso coração o Deus todo-poderoso para realizarmos a mais humilde das tarefas tal qual estas devem ser realizadas.

“Eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”, João 13:15. Observe bem o tipo de gente que Deus coloca à sua disposição e sentir-se-á humilhado ao verificar que esse é o método através do qual ele lhe irá manifestar o tipo de pessoa que você tem sido para ele. Agora, diz ele, mostra a essas pessoas exactamente o que eu sou com o mesmo amor que eu te tenho dado.

“Oh”, diz você, “eu farei tudo isso quando entrar ao campo missionário”. Isso é o mesmo que tentar fabricar munições de guerra nas trincheiras – será morto enquanto as fabrica.

Temos que andar “a segunda milha” (ver Mateus 5:41com Deus. Alguns de nós nos afadigamos logo nos primeiros dez metros, porque Deus nos obriga a seguir por lugares onde não conseguimos enxergar o chão que pisamos e então dizemos: “Vou esperar que chegue a grande crise”. Se não “corrermos” com firmeza nas situações mais banais, falharemos e não faremos nada sempre que tivermos de enfrentar uma crise muito mais séria.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Advertisements

25 De Setembro
Se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas“, Mat.5.41

O ensino do Senhor resume-se assim: o tipo de relacionamento que ele exige é impossível, a menos que ele tenha operado em nós essa obra sobrenatural primeiro. Jesus Cristo exige que, ao nos defrontarmos com a tirania e a injustiça, não haja em nosso coração o mais leve traço de ressentimento contra absolutamente nada, nem mesmo de forma reprimida sequer. Um simples entusiasmo jamais subsistirá sob o peso que Jesus Cristo colocará sobre qualquer servo seu; só um relacionamento pessoal com ele conseguirá e subsistirá, um que tenha sido purificado por Deus até que apenas um único objectivo se mantenha ainda: “Estou aqui para que Deus me envie para onde ele quiser”. Tudo o mais poderá ficar ofuscado, mas, nunca esse relacionamento que temos com Jesus Cristo a partir dali.

O Sermão do Monte não é um ideal; é uma exposição do que acontecerá em mim quando Jesus Cristo tiver alterado a minha disposição por completo, substituindo-a pela que só ele tem. Jesus Cristo é o que pode cumprir o Sermão do Monte em nós.

Se quisermos ser discípulos de Jesus, isso só acontecerá mediante uma obra sobrenatural acontecendo pelo lado de dentro; enquanto tivermos a determinação em forma de propósito de sermos discípulos, podemos estar certos de que ainda nem o somos. “Eu vos escolhi“, Joã0 15:16. Será por ali mesmo que começa toda a graça de Deus. É um chamado do qual não podemos fugir; podemos desobedecê-lo, mas, não pensemos que podemos gerá-lo. Deus nos constrange pela sua graça sobrenatural e nunca poderemos descobrir onde a obra da graça começa e quando ela termina essa obra. A formação de um discípulo, pelo Senhor, é coisa sobrenatural. Ele não constrói, em absoluto, sobre nenhuma de todas as nossas capacidades naturais. Deus não nos pede para fazermos aquelas coisas que nos possam ser naturalmente fáceis; ele só nos pede para fazer aquilo que a sua graça nos capacita a realizar, fácil ou difícil e é nesse ponto que sempre teremos que encarar a levar a nossa cruz até ao seu fim.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16