Posts Tagged ‘Deus’

Kyle Idleman define AHA (do Inglês, AwakeningHonestyAction; DespertamentoHonestidadeAção, tradução livre) como um reconhecimento repentino que conduz a um momento de honestidade que produz mudança.

Passividade é um grande perigo que , geralmente, tem sido tratada levianamente. Para muitos a percepção do perigo é evidente apenas após ver as consequências da mesma sendo coroadas. Há um outro perigo (e não é o único) que caminha junto com a passividade deixei a sua descrição para o final e, se por acaso identificar-se neste artigo; não sinta vergonha ou algum receio, simplesmente admita-o, não fique apenas na reflexão mas, arrependa-se e pratique o que você sabe que deve fazer.

Este ano tem sido extremamente complicado para mim devido ao peso de trabalhos e responsabilidades, ou melhor, honestamente falando, devido ao exagerado espaço que dei à passividade pois de uma ou outra forma todos temos trabalhos e responsabilidades a desempenhar e não precisamos de acréscimos no tempo porque 24 horas para um dia já são suficientes em vez de um “quem me dera que o dia tivesse 26 ou 32 horas!”. A passividade chegou, partilhámos a mesma mesa, dei-lhe o privilegio de falar e, finalmente, acabou por convencer-me com as suas sugestões mascaradas. Só para citar algumas das várias consequências: relacionamento(s) quebrado(s); comunhão com Deus por renovar e manter fora do sistema religioso; pesquisas por escrever e publicar; dissertação por terminar; carta informativa por escrever; vários livros e artigos por ler e escrever os respectivos relatórios; pessoas por visitar; cursos por concluir; compromissos de evangelismo e discipulado por manter firmes e constantes;  feiras de emprego, testes e seminários perdidos; hábitos e costumes que parecem simples mas, dificilmente se mantêm contantes… a lista continua. Para piorar, muitos desses eventos, que ja deviam fazer parte de um estilo de vida, têm prazos. Na verdade, eu fui sendo alertado por Deus, professores, amigos, colegas, circunstâncias… a respeito deste perigo mas, lembra daquela situações em que se apercebe que procede mal e que deve tomar outro rumo porém,…simplesmente deixa p’ra lá e insiste em ouvir a consciência acusando-o; chega, inclusive, a admitir consigo mesmo “sei que estou errado” e,…não faz nada para mudar a situação? Prefere ser passivo do que ativo!

Afinal, o que é passividade?! 

Segundo o dicionário Priberam, “passividade é a qualidade do que é passivo”; e este último, dependentemente do contexto deste artigo, significa “que não actua”, isto é, “indiferente, inerte”. Quantos foram prejudicados por não acatarem conselhos valiosos, ou pior quantos já não estão entre os vivos simplesmente por ignorarem as advertências das por agentes reguladores de trânsito, bombeiros, etc? No país onde resido, ocorrem terremotos e outros fenômenos naturais todos os anos, as instruções sobre como proteger-se, onde deslocar-se, o que levar consigo…são passadas desde a tenra idade; ja imaginou se num desses eventos o individuo simplesmente ignorar os alarmes?

Na realidade, eu acho que um passivo é alguém que vive do passado, gabando-se do que já fez ou viu e, até mesmo aquele que vive num estado de autopiedade por uma acção negativa do passado perpetrado contra ou por si, um autêntico museu ou enciclopédia móvel no sentido mau (podre…prontos a palavra soltou às teclas!) e prefere não aceitar mudanças. O que é isto que nos impede de agir de agir com grande senso de urgência? Em vez de sermos activos parece-nos natural sermos em responder passivamente. Geralmente, a tendência em vez de actuar tendemos a uma atitude (podre e cega) do tipo “estou certo que tudo acabará por si mesmo em bem”.

Apesar de a Bíblia não ser tão específica quanto a isto, acho que devo concordar com Kyle Idleman quando diz que passividade pode ser cuidadosamente descrita como o primeiro pecado que herdamos de Adão, que seria justo dizer que o primeiro pecado do ser humano não foi o comer da fruta, mas sim a passividade. Lembra quando Eva tirou a fruta? O que estava Adão a fazer? ou onde estava ele? De acordo com Gênesis 3:36, Adão estava aí com ela. Ele não disse nada; não fez nada; apenas ficou parado aí.

Continua…

french_cities_map

Source: goFrance

Os acontecimentos do último final de semana despertaram o ser humano a lembrar-se de mais uma das virtudes que herdou do Criador, a solidariedade. O indivíduo não precisa ser religioso ou ter ouvido algo relacionado ao mesmo para saber que nasceu com valores morais. Ateus (atoas), teístas, criacionistas, evolucionistas, agnósticos, ou elementos de qualquer outro grupo têm consciência de terem nascido com um sistema de valores morais o qual lhes foi implantado logo na criação mas, infelizmente, o uso do mesmo tem sido egocentricamente abafada por si mesmo.

Ao apercebermos-nos de tamanha tragédia, a consciência  pergunta-se: afinal, o que é o homem? o que está acontecendo ao mundo? Por que tanto ódio? Ainda podemos sonhar com o futuro?…mas, que futuro?… Aqueles que matam (os chamados terroristas),  deixam transparecer que o fazem por razões religiosas; matam ao próximo e a si mesmo crendo que o fazem em nome de Alá ou Allah (الله = Deus) tendo como garantia o paraíso por executarem tamanha barbaridade, quanta cegueira! Não, não é Allah que os manda; pelo contrário, fazem-no por um illah (إله = deus), o deus deste mundo, o Acusador, Satanás,… pois o verdadeiro Allah deixou claro que não devemos amaldiçoar os nossos inimigos mas, amá-los e orar por eles (Mateus 5:44 – ACF). A religião é, verdadeiramente, um covil de cegos, uma armadilha para a humanidade.

Acções como estas, acontecem e podem acontecer em qualquer canto deste mundo e a dor é terrível (quem já viveu num país em guerra sabe do que me refiro) e como humanos deveríamos prestar mais atenção uns aos outros e sermos sempre solidários pois fomos criados para sê-lo. Infelizmente, a humanidade não aprende as várias lições que tem recebido. Foge do seu Criador, que pena. Não seria sábio voltarmos para Aquele que nos criou, que conhece-nos antes de sermos nascidos, que conhece tanto o passado, o presente e o futuro da humanidade? Por que motivo escolhemos ser néscios não crendo na existência de Deus? Atendei, ó brutais dentre o povo; e vós, loucos, quando sereis sábios? (Salmos 94:8). Se por um lado, uns tantos rebelam-se contra Deus nessas circunstâncias, horas. Outros, no entanto, encontram na fé o verdadeiro consolo mas, ainda assim, alguns deles na busca das respostas e do tão almejado consolo dirigem-se para qualquer porta com o pensamento firme de que existem vários caminhos mas, todos têm o mesmo destino (todos os caminhos levam a Roma) e daí o uso multiforme do hashtag #PrayForParis mas, a quem oramos?! O facto é que só existe uma Porta, só existe um Caminho : Jesus Cristo.

A Bíblia adverte que se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares.  No entanto, em parte alguma as Escrituras exortam-nos a parar de orar; antes pelo contrario, o chamados é orai cem cessar (1 Tessalonicenses 5:17) E para tal, precisamos de sabedoria do Alto em como orar. Como envolver-se nos planos do Reino de Deus nessa circunstancia? A sabedoria do Alto nos iluminará mas, o primeiro passo é a oração. Então, na prática, os hashtags não se limitam apenas a #PrayForParis (#OrePorParis), #PrayForNigeria (#OrePelaNigeria) ou #PrayForSyria (#OrePelaSiria) mas, sobretudo,… #PrayForTheWorld (#OrePeloMundo).

Esta é uma oportunidade para interceder, evangelizar, consolar, etc. Um tempo em que, também, o reino das trevas se levanta pois satanás nunca está em férias.

Aqui vão alguns motivos de oração a respeito:

  • Pelas famílias que perderam ente-queridos e todos quantos foram afectados de qualquer forma: pela paz de Cristo, encontro pessoal com Cristo;
  • Que a resposta da Igreja seja eficaz como um canal de Deus para conforto e cura das pessoas;
  • Que diante dessa tragédia, ideias preconceituosas sejam derrotadas pelo amor, paz e perdão;
  • Que os lideres mundiais tomem decisões sábias;
  • Que os refugiados nao sejam confundidos por terroristas;
  • Pela libertação da cegueira espiritual e salvação daqueles que planeam acções do gênero.

CLIQUE AQUI para ler o relato de um Brasileiro em Paris.

Sempre juntos. Paz e amor.

Nzinga

“Deus chamou você porque você é ruim de bola mas, Ele quis mostrar pr’a você que Ele é bom de técnica.”- Heber Campos Jr.

“Angola, país que dá saltos no PIB mas, nunca sai da pobreza e da corrupção.” – Jornalista brasileiro.

“Sucesso é a habilidade de mover-se de uma falha a outra sem perder o entusiasmo.”-  Winston Churchill

“A salvação de uma única alma é mais importante que o resultado ou preservação de todos grandes feitos e tragédias no mundo. “- C. S. Lewis (tradução forçada)

“Os cristãos da igreja primitiva estavam convictos de que faziam parte de uma ‘colónia do céu na terra’ e que tinha que obedecer a Deus do que ao homem. Eram intoxicados por Deus, eles eram pequenos em número mas grandes em comprometimento.”- Martin Luther King Jr.

“Números não é problema para Deus, aliais é um facto que Ele sempre começa no pequeno mas, com certeza ser comprometido a Ele é um grande negócio.”- El Predicador

“Ser comprometido com Deus significa ser cristão em todo lugar e momento; significa viver de acordo com os princípios de Deus não importando o preço a pagar por isto.”-ElP

  El Predicador

Nota: Nessa semana, como se pode observar, li ou ouvi muito pouco pois estava mais concentrado em aspectos relacionados ao 2º pensamento (inclusive, rejeitei um convite oficial por vários motivos) e aos números (a minha pesquisa univ.), etc.

Então, como sempre será um grande prazer ler os seus comentários e tenha certeza disto: respondo a todos comentários.

No Domingo antepassado fui a um hospital ver um irmão em Cristo, 72 anos de idade, em estado avançado com câncer. Na realidade, para aquela tarde, tinha a agenda marcada para ver uma outra pessoa em outro hospital ( visitas essas que aos poucos têm se tornado uma rotina quase que mensalmente).

Ora bem, este irmão abraçou a fé cristã há pouco menos de 2 anos e consequentemente,  foi baptizado em Dezembro passado e participou em algumas das nossas sessões de estudo bíblico. Prontos, lhe foi diagnosticado o câncer que danificou os (ou um dos) pulmões e os médicos deixaram claro que já não havia alternativas. Nessa altura, nos lembramos que a era dos milagres ainda não passou e, portanto lá na igreja orávamos por mais um. No entanto, Deus respondeu-nos com o seu tão agradável ( mas, dificilmente compreendido ou aceite pelos homens)… silêncio. Ao aproximar-nos do hospital (duas irmãs e eu) comecei a ficar triste (nem sei porquê!), talvez por termos passado de fronte a uma loja de utensílios fúnebres (o equivalente a uma agência funerária lá na banda*) que elas explicaram-me (sem eu perguntar) do que se tratava. Nesses 4 anos por cá nunca prestei tanta atenção nesses empreendimentos ( talvez preste quando partir para a Casa do Pai ). Tão organizado e lindo nem me apercebi que era um negócio que dispara sempre que a morte decide dar um passeio na vila ou em qualquer outro lugar e, aquelas irmãs confirmaram que existem várias dessas lojas ou empresas por aqui. E lá estava eu no meu pensamento… mas, também, com aquelas lindas flores todas como não confundir-se que sirvam de bouquet para uma donzela ( já tive pensamento idêntico de fronte ao Alto das Cruzes alguns anos atrás ) e tantos ornamentos Budistas, o que eu devia pensar?

Quando chegamos no quarto do nosso irmão fiquei espantado ( hum! “chocado” é a palavra certa mas, venci o estado) no quanto a doença havia danificado a sua face, sobretudo o nariz; tinha a face toda inflamada e com dificuldades em respirar ( fazia-na a base de oxigênio, prontos aquela cena dos tubos, etc) mas, também, reparei que ele estava animado e sobretudo quando mostrou-nos as várias fotos que tirou com o neto por meio do seu Tablet ( essas tecnologias não ficam atrás, olha até onde já chegam ) que o visitara há alguns dias. O Suitsu-san era um mais velho que tinha sempre uma gargalhada enquanto falava e quase sempre usando Kansai-ben (clique aqui para aprender um pouco sobre o kansai-ben (関西弁), o dialeto da regiao de Kansai) e que muitos nem entendiam o que falava ( quanto mais eu! nem queiram imaginar ) por fazê-lo de forma rápida mas, falava com todos. Aí naquele lugar contemplei uma outra imagem da morte, “estou a falar com alguém que sabe que pode acordar na eternidade a qualquer instante”. Mas, este “qualquer instante” é obvio para todos nós (doentes, sãos, …) pois pode acontecer a qualquer momento independentemente do estado em que me encontre, certo?. Bem, sobre a morte tenho, também, outras imagens na mente e sobretudo a de um passado recente que me é muitíssimo pessoal e que depois do qual a minha visão quanto a morte mudou substancialmente ( clique aqui para ler sobre o mesmo ). Mas, outra imagem me vem a mente enquanto escrevo, lembro-me de  ter assistido, na infância ( pouco menos de 10 anos ), a morte de alguém a pedrada e ferro, etc, tendo isto acontecido no óbito de outrem. Porém, nunca tinha tido aquela imagem de alguém que já sabe que está em vias de partir a qualquer momento e apenas um milagre o pode reter. Tinha ele as malas já feitas?

Naquele instante, aí naquele canto daquele hospital, ganhei forças e motivação ao ver aquele irmão esforçando-se para rir e pensei “uau, o kota** estará na eternidade a qualquer instante, ver o outro lado,…, o Mestre” mas, foi um pensamento acompanhado de alegria como se alguém dissesse “quem me dera!”. A última coisa que fiz com ele, naquela tarde, depois de orar, foi simplesmente cumprimentá-lo pela mão e dizer-lhe “Suitsu-san, Deus sabe o que faz mas, louve-O sempre e você pode fazer isto de várias formas, como por exemplo dizendo apenas: Iesu sama kanshashimasu! ( Senhor Jesus, muito obrigado! ) pois agradecer a Deus é também louvar a Deus.”

Uma semana após a nossa visita, ele partiu e o funeral foi ontem. Durante o mesmo, ouvi histórias interessantes como o desejo que ele manifestou após a sua conversão: “quero ir ao Seminário e me tornar um pastor” ( oko! na casa dos 70?! rsrs) e também uma cópia das anotações que fazia ao ouvir um sermão e as suas orações foi distribuída durante a cerimonia.

Deus sabe as reais razões para o seu silêncio, cabe a nós aprender as lições desta escola e aplicá-las; Job aprendeu e aplicou-as na sua vida ( clicando aqui terá o acesso a um relatório sobre o livro “Perguntas de quem sofre-Uma leitura do livro de Jó” bem como ao link para o download autorizado do livro ).

A pergunta que fica no ar é: teria ele já “feito as malas”?

Meu leitor, as suas malas já estão feitas? A certeza quanto a isto, depende da sua e minha resposta sobre uma outra pergunta: tenho eu Vida?

E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.
Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus. 1 João 5:11-13 (ACF)

Agora voltando para nós, “os vivos”, a eternidade é uma realidade que pode começar a qualquer instante independentemente do estado em que me encontre. Os nossos dias são contabilizados e nem sabemos quantos mais temos na conta pois cada dia diminuí em vez de adicionar mas, fica patente o que as Escrituras deixam claro:… quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. Ou seja muitos andam mortos há bastante mas, Cristo veio para dar Vida…a morte perde o sentido de desastre, desaparecimento de um ente querido quando o Filho já habita em nós como Senhor e Salvador pelo facto de termos adquirido a Vida que nem a morte pode tocar pois se recorda da sua derrota no terceiro dia, cf. 1 Coríntios 15:4.

Para aqueles que têm o Filho, a morte é apenas um meio de transporte na viagem de volta a casa mas, para outros o desconhecido após a morte é uma realidade eternamente terrível.

Já tens o Filho? Por que não depositar a sua “vida” ao Senhorio d’Ele hoje e agora mesmo, de modos que tenha acesso a Vida? Renda-te hoje para o Senhor pois o amanhã poderá não acontecer.
Portanto,

…prepara-te,…, para te encontrares com o teu Deus. Amós 4:12 (ACF)

R3

banda*: um termo usado no calão (Angola) para designar o país, região, etc.

kota**: calão (Angola) designando, um superior, senhor(a) (diferenciando-se pelo gênero do artigo que antecede a palavra).

31 De Maio
Deus Em Primeiro Lugar
“Mas o próprio Jesus não se confiava a eles… porque ele mesmo sabia o que era a natureza humana”, João 2.24,25

cid:image001.jpg@01CF7725.B8020870

Demos prioridade à nossa confiança em Deus. O Senhor não confiava em nenhum homem; mesmo assim, ele nunca foi desconfiado, nunca se amargurou, nunca desesperava de ninguém, porque colocava sua confiança primeiro em Deus; confiava totalmente no que a graça de Deus podia fazer por qualquer ser humano. Se colocarmos nossa confiança primeiro nas pessoas, acabaremos desesperando de todos; tornar-nos-emos amargos, porque insistimos em que um ser humano seja o que nenhum deles pode ser – absolutamente recto. Nunca confiemos senão na graça de Deus, em relação a nós ou a quem quer que seja.

Demos prioridade à vontade de Deus. “Eis, aqui estou para fazer, ó Deus, a tua vontade”, Heb.10.9. O homem obedece àquilo que ele vê como uma necessidade; a obediência do Senhor era à vontade de seu Pai. O clamor de hoje é: “Precisamos de fazer alguma coisa, pois os pagãos estão morrendo sem Deus; precisamos ir falar-lhes d’Ele”. Antes demais nada, precisamos ver se as necessidades de Deus estão sendo atendidas dentro nós. “Permanecei, pois… até…” O objectivo deste Colégio é levar-nos a posicionarmos correctamente em relação às necessidades de Deus. Depois que as necessidades de Deus em nós estiverem satisfeitas, então ele abrirá o caminho para que atendamos suas necessidades noutros lugares também.

Demos prioridade à confiança que Deus deposita em nós. “E quem receber uma criança, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe”, Mat.18.5. A confiança de Deus está em que ele se dá a nós como uma criancinha. Deus espera que nossa vida pessoal seja uma “Belém”. Estamos porventura na permissão de que nossa vida natural seja lentamente transfigurada através da vida do Filho de Deus em nós? O objectivo final de Deus é que seu Filho possa sair manifestado através de todo o nosso corpo mortal.

 Fonte:

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Em Novembro de 1975, o enorme cargueiro naval Edmund Fitzgerald afundou-se durante uma forte tempestade nas águas frias do Lago Superior. Apenas uma semana antes da tragédia, o comissário de bordo Robert Rafferty havia escrito à esposa: Devo estar em casa até ao dia 08 de Novembro. Contudo, nada é garantido. Ironicamente proféticas, as suas palavras seriam publicadas num artigo de jornal relatando o acidente com o nome dos 29 marinheiros falecidos.

Nem um só dia passa, sem que haja uma lembrança de que a nossa vida terrena pode cessar a qualquer momento. Para isso, basta ler a secção de Necrologia de qualquer jornal. Uma mensagem surge-nos em alto e bom som: Hoje estamos cá, mas amanhã poderemos não estar! “Que é a nossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece;” (Tiago 4:14).

Será esta a nossa única certeza, a sensata perspectiva de que a qualquer momento podemos ser empurrados para a eternidade? Não! Cristo é a âncora da nossa alma. Ele pagou o preço dos nossos pecados na cruz. Se admitirmos a nossa culpa perante Deus, receberemos o perdão e a eternidade ao confiarmos n´Ele. Ele prometeu estar ao nosso lado, mesmo na hora da nossa morte.

A tua vida terrena parece-te fútil porque “nada é garantido”? Então confia em Cristo. Ele dá-te a jubilosa certeza da vida eterna, que pode ser tua agora mesmo!

Prezado leitor! Se quiser apropriar-se da vida eterna, convido-lhe, agora mesmo, a abrir o seu coração e dedicar um tempo à Deus através desta oração, fale com Ele.

Finalmente, convido-lhe a procurar por um cristao ou mesmo  uma igreja onde se prega a Bíblia e tem Jesus Cristo o centro de tudo…. procure conhecer o horário dos cultos . Se não conseguir localizar uma igreja pode contactar-nos  pois o ajudaremos com todo amor e se já faz parte de uma, onde Jesus é pregado, não falte aos cultos. 

                                                          Tony René


* in O Nosso Pão Diário(adaptação)

Deus é Deus!

Entao, pare de murmurar!