Posts Tagged ‘Armadura Missionária’

11 De Setembro
Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros“, João 13.14

Ministrar conforme as circunstâncias e oportunidades do dia-a-dia. Ministrar conforme as circunstâncias se nos apresentam, não significa escolher as situações em que queremos fazer viver, mas, sermos exclusivamente de Deus dentro de qualquer situação possível na qual ele nos colocar. As características que manifestamos nas circunstâncias normais de nossa vivência revelam-nos como seremos nas outras.

As coisas que Jesus fazia eram do tipo mais humilde e vulgar e isso era indício claro de que é necessário todo o poder de Deus em mim para que eu faça as coisas mais comuns do jeito dele. Serei capaz de usar uma toalha como ele o fez? Toalhas, bacias e sandálias, todas essas coisas banais e comuns de nossa vida normal serão sempre as que melhor revelam de que estofo somos. É preciso ter em nosso coração o Deus todo-poderoso para realizarmos a mais humilde das tarefas tal qual estas devem ser realizadas.

“Eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também”, João 13:15. Observe bem o tipo de gente que Deus coloca à sua disposição e sentir-se-á humilhado ao verificar que esse é o método através do qual ele lhe irá manifestar o tipo de pessoa que você tem sido para ele. Agora, diz ele, mostra a essas pessoas exactamente o que eu sou com o mesmo amor que eu te tenho dado.

“Oh”, diz você, “eu farei tudo isso quando entrar ao campo missionário”. Isso é o mesmo que tentar fabricar munições de guerra nas trincheiras – será morto enquanto as fabrica.

Temos que andar “a segunda milha” (ver Mateus 5:41com Deus. Alguns de nós nos afadigamos logo nos primeiros dez metros, porque Deus nos obriga a seguir por lugares onde não conseguimos enxergar o chão que pisamos e então dizemos: “Vou esperar que chegue a grande crise”. Se não “corrermos” com firmeza nas situações mais banais, falharemos e não faremos nada sempre que tivermos de enfrentar uma crise muito mais séria.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Advertisements

10 De Setembro
Eu te vi, quando estavas debaixo da figueira“, João 1.48

Adorar em ocasiões do dia-a-dia e sempre que possível. Temos a ilusão de que, caso venhamos a enfrentar uma crise, seremos capazes de nos sobrepormos a ela; mas, a crise apenas revelará se temos fibra ou não; ela não colocará nada dentro de nós. Você diz: “Se Deus me chamar, naturalmente que estarei pronto para agir”. Mas, o facto é que não estará, a menos que esteja “agindo” no dia-a-dia e esteja vivendo diante de Deus como deve viver em privado. Se você não estiver fazendo o serviço que está ao seu alcance, embora sabendo que foi Deus quem o planeou, quando a crise imergir, em vez de se revelar apto, antes colocará à luz sua ineficiência. A crise apenas revelará o carácter que tem em si.

Para se obter aptidão é fundamental o relacionamento íntimo de adoração a Deus. Chega a hora em que não é mais possível permanecer “debaixo da figueira” quando você tem que sair da sua “sombra” e enfrentar o calor e o labor; e se lá dentro do seu lar, em situação favorável, não estava adorando em perfeição, não vai estar apto para o serviço lá fora por certo. Aprenda a adorar a Deus nos momentos a sós com ele e se assim ocorrer, quando ele o deixar sair para fora, estará preparado para tudo quanto vier, porque na vida particular a qual ninguém vê senão Deus, você se tornou perfeitamente apto e Deus poderá confiar em si na hora da sua provação.

“Não se pode esperar que eu viva uma vida santificada nas circunstâncias em que me acho; não sobra tempo para orar, nem para ler a Bíblia; minha oportunidade ainda não chegou, mas, quando ela chegar, certamente estarei preparado para enfrentar tudo”. Não; por certo não estará. Se você não estiver cultivando a adoração a Deus em qualquer situação presente, quando entrar no serviço do Senhor não só será inútil, como se tornará um tremendo estorvo para seus colegas fiéis no ministério. O campo de treinos, onde todas as armas são testadas pelo missionário, é aquela vida oculta, pessoal, da adoração a Deus de qualquer santo e santificado.

 REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

11 De Setembro
Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros“, João 13.14

Ministrar conforme as circunstâncias e oportunidades do dia-a-dia. Ministrar conforme as circunstâncias se nos apresentam, não significa escolher as situações em que queremos fazer viver, mas, sermos exclusivamente de Deus dentro de qualquer situação possível na qual ele nos colocar. As características que manifestamos nas circunstâncias normais de nossa vivência revelam-nos como seremos nas outras.

As coisas que Jesus fazia eram do tipo mais humilde e vulgar e isso era indício claro de que é necessário todo o poder de Deus em mim para que eu faça as coisas mais comuns do jeito dele. Serei capaz de usar uma toalha como ele o fez? Toalhas, bacias e sandálias, todas essas coisas banais e comuns de nossa vida normal serão sempre as que melhor revelam de que estofo somos. É preciso ter em nosso coração o Deus todo-poderoso para realizarmos a mais humilde das tarefas tal qual estas devem ser realizadas.

Eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também“, João 13:15. Observe bem o tipo de gente que Deus coloca à sua disposição e sentir-se-á humilhado ao verificar que esse é o método através do qual ele lhe irá manifestar o tipo de pessoa que você tem sido para ele. Agora, diz ele, mostra a essas pessoas exactamente o que eu sou com o mesmo amor que eu te tenho dado.

“Oh”, diz você, “eu farei tudo isso quando entrar ao campo missionário”. Isso é o mesmo que tentar fabricar munições de guerra nas trincheiras – será morto enquanto as fabrica.

Temos que andar “a segunda milha” com Deus. Alguns de nós nos afadigamos logo nos primeiros dez metros, porque Deus nos obriga a seguir por lugares onde não conseguimos enxergar o chão que pisamos e então dizemos: “Vou esperar que chegue a grande crise”. Se não “corrermos” com firmeza nas situações mais banais, falharemos e não faremos nada sempre que tivermos de enfrentar uma crise muito mais séria.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

10 De Setembro
Eu te vi, quando estavas debaixo da figueira“, João 1.48

Adorar em ocasiões do dia-a-dia e sempre que possível. Temos a ilusão de que, caso venhamos a enfrentar uma crise, seremos capazes de nos sobrepormos a ela; mas, a crise apenas revelará se temos fibra ou não; ela não colocará nada dentro de nós. Você diz: “Se Deus me chamar, naturalmente que estarei pronto para agir”. Mas, o facto é que não estará, a menos que esteja “agindo” no dia-a-dia e esteja vivendo diante de Deus como deve viver em privado. Se você não estiver fazendo o serviço que está ao seu alcance, embora sabendo que foi Deus quem o planeou, quando a crise imergir, em vez de se revelar apto, antes colocará à luz sua ineficiência. A crise apenas revelará o carácter que tem em si.

Para se obter aptidão é fundamental o relacionamento íntimo de adoração a Deus. Chega a hora em que não é mais possível permanecer “debaixo da figueira” quando você tem que sair da sua “sombra” e enfrentar o calor e o labor; e se lá dentro do seu lar, em situação favorável, não estava adorando em perfeição, não vai estar apto para o serviço lá fora por certo. Aprenda a adorar a Deus nos momentos a sós com ele e se assim ocorrer, quando ele o deixar sair para fora, estará preparado para tudo quanto vier, porque na vida particular a qual ninguém vê senão Deus, você se tornou perfeitamente apto e Deus poderá confiar em si na hora da sua provação.

“Não se pode esperar que eu viva uma vida santificada nas circunstâncias em que me acho; não sobra tempo para orar, nem para ler a Bíblia; minha oportunidade ainda não chegou, mas, quando ela chegar, certamente estarei preparado para enfrentar tudo”. Não; por certo não estará. Se você não estiver cultivando a adoração a Deus em qualquer situação presente, quando entrar no serviço do Senhor não só será inútil, como se tornará um tremendo estorvo para seus colegas fiéis no ministério. O campo de treinos, onde todas as armas são testadas pelo missionário, é aquela vida oculta, pessoal, da adoração a Deus de qualquer santo e santificado.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16