“Quando Jesus ia a sair dali, viu um homem sentado no posto de cobrança de impostos. O seu nome era Mateus. Jesus chamou-o: ”Segue-me.” Ele levantou-se e foi com Jesus. Mateus 9:9  (BPT)

Mateus, o cobrador de impostos, costumava ser Levi o bom menino Judeu. Provavelmente tentou ser um discípulo de um Rabino. Talvez até era esperado que se torna-se num líder espiritual em Israel. Mas com certeza alguma coisa não deu certo.  Ao invés de servir ao Senhor ele decidiu servir a si mesmo. Virou as costas para o seu próprio povo e tornou-se em um cobrador de impostos para o governo Romano que havia ocupado a sua terra. E naqueles dias, a ideia de cobrador de imposto honesto não havia. Eles enganavam o povo para encher os seus bolsos. Eram excluídos da religião e da sociedade, eram impuros e nem se quer permitidos a aceder a parte externa do pátio do templo.

Mateus jamais pensaria que Deus ainda quereria ter algo com ele. Então, um dia estava na sua barraca de cobrador de impostos, um novo rabi dirigiu-se diretamente a ele e apresentou-lhe este simples convite de mudança de vida: “Segue-me.”

Jesus pode ter parecido ser um rabi sem-abrigo e inconvencional, mas era um rabino apesar de tudo. Os rabinos eram mestres da Palavra de Deus, e todo o rabino tinha uma classe de estudantes ou discípulos. Mas este era um grupo exclusivo; não era qualquer um que podia ser um discípulo. Os discípulos tinham de conquistar a boa vontade do rabino provando que possuíam um conhecimento profundo das Escrituras, e também ser inteligente. A reputação do rabino dependia do facto de aceitar apenas os candidatos altamente qualificados.

Mas este não era o método que o rabino Jesus usou para ter seguidores. Ao invés destes candidatarem-se, Jesus convidou os seguidores. E no presente caso, ele estava a convidar o mais desprezado entre os desprezados – um cobrador de impostos. Alguém que não era apenas um pecador, mas que pecava para viver! Alguém cujos amigos eram prostitutas, bêbados, e ladrões. Sabe como sabemos disto a respeito de Mateus? Por que ele mesmo no-lo diz.

Actualmente, não conhecemos Mateus como o humilhado e fracassado que teve de vender a sua alma aos Romanos para ter um emprego lucrativo. Conhecemo-lo como um seguidor de Jesus que escreveu o primeiro livro do Novo Testamento.

Seguindo Hoje

Já sentiu-se desqualificado para ser aceite por Deus? Como? Quando ouviu o convite de Jesus para segui-lo? O que teve de deixar para responder ao convite?

Comments are closed.