12 De Maio
Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inactivos, nem infrutuosos“, 2 Ped.1.8

Quando começamos e estando nós ainda formando hábitos, temos consciência do que estamos fazendo. Há ocasiões em que tomamos consciência de que estamos sendo tornados virtuosos e pacientes espiritualmente, mas, isso é apenas uma etapa de nossa vida; se pararmos por ali, acabaremos por nos tornar espiritualmente obesos, caprichosos e orgulhosos. A forma mais correcta de podermos lidar com os hábitos é integrá-los na vida do Senhor até que, todos, de tanto serem praticados, deixem de ser hábitos conscientes e se tornem naturais por si mesmos. Em nossa vida espiritual voltamos continuamente à introspecção porque existem algumas qualidades que ainda nos estão ausentes. Em última análise, essa vivência deve ser completamente simples e tornada naturalmente espontânea.

O seu deus pode ser sua prática religiosa, como o hábito de orar em determinadas horas, ou o hábito de ler a Bíblia por assim dizer. Observe como o Pai transtornará esses horários, se você começar a prestar homenagem a esses cultos privados e a esses hábitos em vez de se agarrar a Quem eles simbolizam e a Quem eles podem manifestar: “Eu não posso fazer isso agora, estou orando; essa é a minha hora de estar com Deus”. Não; é a hora de você estar com seu hábito. Está-lhe faltando alguma virtude logo ali. Reconheça essa lacuna e então procure oportunidades de desenvolver a virtude que ainda lhe falta para lhe ser acrescentada logo ali.

A presença do amor implica a ausência de hábitos; chegamos àquele ponto em que um hábito desaparece e pela prática se torna um acto inconsciente, tomado e constante. Quando somos conscientemente espirituais, isto significa que há certas coisas que achamos que não podemos fazer e outras que podemos, certos relacionamentos nos quais não somos nada simples e espontâneos ainda e que há ainda algo para ser sempre acrescentado ao que fazemos. A única vida sobrenatural é a que o Senhor Jesus vivia por Ele e ele sentia-se à vontade com Deus em qualquer lugar onde estivesse ou se achasse. Há alguma situação sobre a qual você não se sente à vontade com Deus? Deixe que Deus opere nessa situação até que, nela, você passe a sentir-se à vontade com ele para que a sua vida e vivência se possam tornar simples como a de uma criança.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s