Archive for December, 2016

27 De Dezembro
Se voltares, ó Israel, diz o Senhor…” Jer.4.1.

As batalhas são ganhas ou perdidas nos lugares secretos da nossa vontade em primeiro lugar, perante Deus e não no nosso mundo exterior. É o Espírito de Deus que me constrange e sou obrigado a ficar a sós com Deus e travar as batalhas diante dele antes de se darem em minha esfera exterior. Enquanto isso não acontecer, sairei sempre derrotado de qualquer batalha, por pequena que esta seja. A batalha pode levar um minuto ou um ano, isso dependerá apenas de mim, não de Deus; mas, deve ser travada a sós diante de Deus e em mim e eu devo atravessar resolutamente o inferno duma renúncia diante de Deus para entrar nos pastos verdejantes de qualquer vitória. Nada tem qualquer poder sobre quem já batalhou diante de Deus e saiu vencedor.

Se vier a dizer assim: “Vou esperar pela provação e então porei Deus à prova sobre isso”, descobrirei que isso é impossível de ser feito. Tenho que acertar as coisas entre mim e Deus nos lugares celestiais e secretos de minha alma, onde nenhum estranho tem como interferir e apenas então poderei prosseguir com a certeza de que a batalha estará ganha. Se a perder ali, me sobrevirão calamidades e transtornos, tão certos quanto os decretos de Deus o dizem. Uma das razões porque eu não ganho nenhuma batalha é que tento vencê-la primeiro na esfera exterior. Fique a sós com Deus, lute diante dele, resolva a questão ali de uma vez por todas e só depois trate de sair para fora.

Ao lidar com outras pessoas, a nossa função é levá-las a resolver a questão em termos duma decisão perante e diante de Deus. Esse é o meio através do qual se inicia uma entrega real. De vez em quando, Deus pode-nos levar a empreender uma certa batalha numa certa encruzilhada. Esse será um ponto crucial; daí por diante, ou partimos para um tipo de vida evangélica cada vez mais fraca e inútil, ou nos tornamos mais e mais inflamados para glorificar Deus – o máximo de nós para a glória de Deus em nós e através de nós.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Diciembre 27

Si te has de volver, Israel, dice Jehová“, Jeremías 4:1

Las batallas se pierden o se ganan primero delante de Dios, en los lugares secretos de nuestra voluntad y nunca en el mundo exterior. Como el Espíritu Santo se apodera de mí, me siento obligado a permanecer a solas con Dios peleando la batalla delante de Él. Si no lo hago, perderé todas las veces. La batalla puede durar un minuto o un año. Eso no depende de Dios sino de mí; pero es necesario que luche a solas delante de Él y debo atravesar con firmeza el infierno de la negación personal. Nada ni nadie tiene poder alguno sobre la persona que ha peleado la batalla delante de Dios y la ha ganado ahí.

Nunca debo decir: “Esperaré hasta que enfrente circunstancias difíciles y luego pondré a Dios a prueba”. Intentar algo así no funciona. Debo resolver la situación entre Él y yo en los lugares secretos de mi alma, donde ningún extraño se entrometa. Entonces, puedo seguir adelante con la certeza de que la batalla se ha ganado. Piérdela y la calamidad, el desastre y la derrota ante el mundo serán tan seguros como las leyes de Dios. La batalla no se gana cuando primero trato de lograr la victoria en el mundo exterior. Permanece a solas con Dios y pelea hasta el final delante de Él. Resuelve el asunto ahí, de una vez por todas.

Lo que debemos hacer al tratar con otras personas, es llevarlas a que ejerzan su voluntad para decidir. Así como es que empieza el sometimiento a Dios. De vez en cuando, Él nos conduce hasta un punto decisivo, una gran encrucijada en nuestra vida. A partir de allí, optamos por un estilo de vida cristiana cada vez más indolente, perezoso e inútil o nos volvemos más y más fervorosos dando lo máximo de nosotros por lo supremo de Él. Lo mejor de nosotros para su gloria.

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

26 De Dezembro
“Se, porém, andarmos na luz como ele está na luz… o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”, 1 João 1.7

É um erro crasso confundir o estarmos cientes do facto de que estou livre do pecado consciente com a libertação do pecado pela expiação feita por Cristo em nós. Ninguém entende o que é pecado enquanto não nascer de novo. Pecado foi o que Jesus Cristo enfrentou no Calvário, não a morte. A prova de que estou liberto do pecado é que entendo a verdadeira natureza do pecado em mim depois de sair dela. Para que o homem entenda o que o pecado é, será preciso que ele experimente o máximo da expiação de Jesus Cristo, ou seja, a comunicação da sua absoluta perfeição dentro de si.

O Espírito Santo aplica a expiação dentro de todos nós tanto na nossa esfera inconsciente como na que temos consciência; e só quando chegarmos a ter uma ideia do verdadeiro poder do Espírito Santo em nós é que compreenderemos o real sentido de 1 João 1.7: “O sangue de Jesus… nos purifica de todo pecado”. Isso não se aplica apenas ao pecado consciente, mas, à compreensão profunda do pecado, que só posso receber do Espírito Santo sempre que habita em mim.

Se eu andar na luz como Deus está na luz – não na luz da minha consciência, mas, na luz de Deus em minha consciência e não só – se andar nela, sem que nada esteja encoberto para ninguém, então receberei esta maravilhosa revelação: o sangue de Jesus Cristo me purifica de todo pecado, a tal ponto que o Deus todo-poderoso nada mais vê de repreensível em mim. E isso é obra! O resultado disso na minha consciência é um doloroso conhecimento do que é o pecado verdadeiramente. O amor de Deus que opera em mim faz-me odiar, com o mesmo ódio do Espírito Santo, tudo o que não esteja de acordo com a santidade absoluta de Deus. Andar na luz significa que tudo o que é das trevas me impele mais para dentro da Sua luz. 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

25 De Dezembro
Eis que a virgem conceberá, dará à luz um filho e lhe chamará Emanuel“, Is.7.14

Seu nascimento na História. “Por isso também o ente santo que há de nascer de ti será chamado Filho de Deus”, Luc.1.35. Jesus Cristo nasceu no mundo, não do mundo. Não surgiu da História; ele entrou na História, vindo de fora. Jesus Cristo não é o melhor dos seres humanos. Ele é um ser que não pode, em absoluto, ser explicado através da raça humana. Ele não é um homem que se tornou Deus, mas, Deus encarnado, Deus vindo do céu e assumindo a carnalidade humana nele para a destruir por completo. Sua vida é a mais elevada e a mais santa que aqui chegou entrando pela porta mais humilde possível. O nascimento do Senhor foi um advento – o aparecimento de Deus em forma humana.

Seu nascimento em mim. “Por quem de novo sofro as dores de parto, até Cristo ser formado em vós”, Gal.4.19. Assim como o Senhor entrou na história humana, também deve entrar em mim. Terei permitido que minha vida se transforme numa “Belém” para o Filho de Deus também? Eu não posso entrar nos domínios do reino de Deus e obter acesso a ele, a menos que nasça do alto através de um nascimento totalmente diferente do que conhecemos como o modo natural. “Importa-vos nascer de novo”, João 3:7. Isso não é uma ordem, é um facto fundamental indescritível. A característica do novo nascimento é que eu me renda a Deus de forma tão completa que “Cristo seja formado” em mim. Assim que Cristo é formado em mim, a sua natureza começa a activar e actuar através de mim. 

Deus manifesto na carne. Isto é tudo quanto nos é tornado possível, a mim e a si como homens e através da redenção dentro de cada homem através de Jesus Cristo.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Diciembre 25

Una virgen concebirá y dará a luz un hijo y le pondrás por nombre Emanuel“, Mateo 1:23.

Su nacimiento en la historia. “…El Santo Ser que va a nacer será llamado Hijo de Dios”, Lucas 1:35. Jesucristo nació en este mundo, pero no procedía de él. No surgió de la historia; entro en ella desde afuera. Jesucristo no es el mejor ser humano del que se pueda jactar la humanidad. Él es un ser del cual la raza humana no puede dar explicación alguna. Él no es un hombre que se hizo Dios, sino el Dios encarnado, el Dios que se manifestó en carne humana, el que entro en ella desde afuera. Aunque su vida es la más alta y sublime, Él entró por la puerta más humilde. El nacimiento de nuestro Señor fue un advenimiento, la aparición de Dios en forma humana. 

Su nacimiento en mí. “Hijitos míos, por quienes vuelvo a sufrir dolores de parto, hasta que Cristo sea en vosotros” Gálatas 4:19. Así como nuestro Señor entró en la historia humana desde afuera, también debe entrar en mí desde afuera. ¿He permitido que mi vida sea una aldea de “Belén” para el Hijo de Dios? No puedo entrar en el ámbito del reino de Dios, a menos que haya nacido de arriba mediante un nacimiento totalmente diferente al físico. “Os es necesario nacer de nuevo”, Juan 3:7. Este no es un mandamiento, sino un hecho que se fundamenta en la autoridad de Dios. La característica del nuevo nacimiento es que me rindo a Dios de una manera tan plena que Cristo se forma en mi. Tan pronto esto ocurre, su naturaleza empieza a actuar a través de mí. 

Dios manifestado en carne. Esto es totalmente posible para ti y para mí por medio de la redención del hombre a través de Jesucristo. 

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

24 De Dezembro
A vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus“, Col.3.3

O Espírito de Deus testifica da extraordinária segurança da vida “oculta com Cristo em Deus”. E isso é constantemente ressaltado por Paulo dentro das suas epístolas. Falamos de viver uma vida santificada como se isso fosse uma coisa muito incerta; porém, é a mais segura que existe, porque essa vida contém em si e por trás dela o Deus todo-poderoso do universo. A coisa mais incerta é tentar viver sem Deus. Se já nascemos de novo, a coisa mais difícil será locomovermo-nos em erro; e a mais fácil é viver a partir dum relacionamento concreto e correcto com Deus, bastando para isso que prestemos atenção às suas advertências e nos mantenhamos em sua luz, 1 João1:7.

Quando pensamos em andar na luz, em ser libertos do pecado, “sermos cheios do Espírito”, Ef.5:18, isso nos parecerá o pico de uma montanha muito alta para concluirmos assim: “Oh, eu nunca conseguiria viver lá em cima!” Mas, quando, através daquela graça abundante de Deus lá chegarmos, descobrimos que não se trata de um pico duma montanha, mas, antes dum planalto onde existe amplo espaço para se poder viver e crescer livremente apenas. “Alongaste meus passos debaixo de mim e eu não resvalei em meu caminho”, Sal.18:36.

Se você realmente vir a Jesus e estiver de facto com ele, eu o desafio a duvidar dele. Quando ele diz: “Não se turbe o vosso coração”, João 14:27, se você o vir, eu o desafio a deixar que sua mente se perturbe; quando ele está presente é impossível duvidar mais. Todas as vezes que você entrar em contacto directo e muito íntimo e pessoal com Jesus, as palavras dele se tornam excessivamente reais. “A minha paz vos dou”, João 14:27 – uma paz que abrange tudo e excede tudo quanto se possa imaginar, desde o alto da cabeça até a sola dos pés, uma confiança irreprimível e impossível de ser ainda contida. “A vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus” e a paz perfeita de Jesus Cristo é transmitida em seu íntimo.

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Diciembre 24

…Vuestra vida está escondida con Cristo en Dios“, Colosenses 3:3

Diciembre 23

Pero lejos esté de mí gloriarme, sino en la cruz de nuestro Señor Jesucristo“, Gálatas 6:14

El Evangelio de Jesucristo siempre obliga a una decisión de nuestra voluntad. ¿Acepto el veredicto de Dios acerca del pecado, es decir, que fue juzgado en la cruz de Cristo? ¿Tengo siquiera el más mínimo interés en la muerte de Jesús? ¿Deseo identificarme con su muerte, es decir, morir completamente a todo interés pecaminoso y a la mundanalidad? ¿Anhelo identificarme de tal manera con Jesús que todo lo demás no tenga ningún valor, únicamente Él y sus propósitos? El gran privilegio del discipulado es que puedo alistarme bajo la bandera de su cruz, lo cual significa morir al pecado. Vete a solas con Jesús y dile que cueste lo que cueste quieres identificarte con su muerte. O dile que tu no quieres morir al pecado. Tan pronto actúes por fe, confiando en lo que el Señor hizo en la cruz, ocurrirá una identificación sobrenatural con su muerte; y sabrás, con un conocimiento que sobrepasa todo entendimiento, que tu viejo hombre está crucificado con Él. La prueba de esta crucifixión es la asombrosa facilidad con que ahora la vida de Dios te capacita para obedecer la voz de Jesucristo. 

De vez en cuando el Señor nos permite ver lo que seríamos sino fuera por Él. Es una confirmación de sus palabras: Separados de mi, nada podéis hacer (Juan 15:5). Por esta razón, la base del cristianismo es una devoción personal y apasionada al Señor Jesús. Confundimos el gozo de ser introducidos en el reino de Dios con su propósito para que entráramos en él. Este propósito es que comprendamos todo lo que significa la identificación con Jesucristo. 

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16