1 De Maio 
Visto que andamos por fé e não pelo que vemos“, 2 Cor.5.7

Durante algum tempo ficamos hiper-conscientes das atenções que Deus nos dá; mas, quando ele começa a usar-nos para a sua causa, assumimos um ar patético e começamos assim a falar de provações e dificuldades enquanto Deus está apenas a tentar fazer-nos cumprir nosso dever anonimamente. Se dependesse de nós, nenhum de nós seria um “Zé-ninguém” no reino de Deus. Somos capazes de cumprir nosso dever ainda se Deus nos fechar o céu? Alguns de nós desejam ser santos resplandecentes com auréolas douradas no brilho da inspiração, gozando as atenções do povo de Deus a tempo inteiro. Um crente que se assegura através de sua própria imagem não serve para nada; é anormal, sem mais valia para a vida diária e sem a semelhança de Deus espelhada nele. Estamos aqui, não como anjos em formação, mas, como homens e mulheres que lutam, para realizarmos as tarefas do mundo, porque nascemos do alto para realizá-las contando com um poder infinitamente grande para suportar qualquer agitação.

Se tentamos trazer de volta os raros momentos de inspiração, isso é sinal de que não é Deus que queremos. Estamos transformando em talismãs aqueles momentos sobre os quais Deus se revelou e falou e insistindo em que ele o faça de novo o que já fez; contudo, o que Deus quer é que “andemos pela fé”. Quantos de nós nos “encostamos”, por assim dizer, afirmando: “Não posso fazer mais nada, enquanto Deus não se manifestar”. Ele não o fará. E, sem a inspiração e nenhum toque de Deus, teremos que nos erguer sozinhos. Logo virá, então, a surpresa: “Então! Ele esteve aqui o tempo todo e eu não sabia!” Em nenhum momento viva apenas em função daqueles momentos raros; eles são surpresas. Deus nos dará toques de inspiração quando perceber que não há o risco de sermos desviados para eles. Não devemos fazer nunca desses momentos de inspiração o nosso padrão vivente. Nosso dever é que é o nosso padrão.

 

 

 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s