Archive for April, 2016

29 De Abril
Ainda não se manifestou o que havemos de ser“, 1 João 3.2

Temos naturalmente uma tendência para sermos tão lógicos e previdentes que encaramos a incerteza como algo negativo. Achamos que temos sempre que atingir um fim determinado; mas, não é assim na vida espiritual. Na vida espiritual vivemos seguros em nossa incerteza e, por essa razão, nunca nos fixamos em nada. O bom-senso diz: “Bem, suponhamos que eu estivesse em tal situação…” Mas é impossível imaginarmo-nos numa situação na qual nunca tenhamos estado.

A certeza é o distintivo da vida comum e racional; uma incerteza é a característica marcante da vida espiritual. Ter a certeza de Deus significa que estamos incertos em todos os nossos outros caminhos e admitimos mesmo não sabermos o que o dia nos trará. Isso, em geral, é dito com um suspiro de tristeza, contudo deveríamos dizê-lo com uma expressão de maravilhosa expectativa, pois sabemos que Deus está connosco. Estamos incertos quanto ao passo que daremos a seguir, mas, estamos certos de Deus. Tão logo nos entregamos a Deus e cumprimos o dever mais imediato, ele passa a suprir nossa vida de surpresas. Quando nos tornamos defensores de uma crença, alguma coisa morre em nós; não acreditamos em Deus, acreditamos apenas em nossa crença a respeito dele. Jesus disse: “Se não vos… tornardes como crianças”. A vida espiritual é como a vida de uma criança. Não estamos incertos quanto a Deus, mas, incertos quanto ao que ele vai fazer em seguida. Se estivermos certos apenas de nossas crenças, nós nos tornaremos arrogantes e rigorosos e seremos inflexíveis em nossas opiniões; mas, quando estamos correctamente relacionados com Deus, a nossa vida logo se enche de expectativa e de uma incerteza espontânea e alegre.

“Crede também em mim”, disse Jesus; ele não disse: “Acreditai em certas coisas a meu respeito”. Deixemos tudo com ele; a maneira como ele agirá é gloriosamente incerta, mas ele agirá com toda a certeza. Permaneçamos fiéis a ele.

 

 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Abril 29

Aún no se ha manifestado lo que hemos de ser” 1 Juan 3:2

Como nuestra inclinación natural es a ser muy exactos, tratamos siempre de predecir con acierto que va a ocurrir y consideramos la incertidumbre como algo malo. Creemos que es obligatorio alcanzar una meta definida. Sin embargo, esa no es la naturaleza de la vida espiritual, la cual consiste en sentimos seguros en medio de nuestra incertidumbre. Por esta razón no “hacemos nido” en ninguna parte. Nuestro sentido común dice: “Bueno ¿qué sucedería si yo estuviera en tal circunstancia?” No podemos hacer suposiciones e imaginarnos a nosotros en una situación que nunca hemos vivido. La certeza es la característica más importante de la vida fundamentada en el sentido común; la incertidumbre que es por gracia es la característica más importante de la vida espiritual. Estar seguros de Dios implica que no tenemos certeza sobre ninguno de nuestros caminos y que ignoramos lo que el día de mañana nos traerá. Cuando hablamos al respecto, generalmente lo hacemos con un suspiro de tristeza y lo que deberíamos manifestar es una expectativa que nos llena de emoción. Desconocemos cual es el siguiente paso, pero estamos seguros del Señor. Tan Pronto nos rendimos a Dios y hacemos la obra que nos ha puesto al alcance de la mano, Él empieza a colmarnos de sorpresas. Cuando nos convertimos en simples promotores o defensores de una doctrina, algo se muere dentro de nosotros. No le creemos a Dios, sólo creemos en nuestras opiniones acerca de Él. Jesús dijo: “Sino os volvéis como niños…” Mateo 18:3. La vida espiritual es la vida de un niño. No nos falta seguridad con respecto a Dios, sino a lo que Él va a hacer después. Si sólo estamos seguros de nuestras creencias, nos damos el honor a nosotros mismos y somos inflexibles; además, asumimos la prohibición de modificar nuestros puntos de vista. Pero, cuando nos relacionamos de una manera correcta con Dios, la vida está llena de espontáneas y alegres incertidumbres y expectativas.

Jesús dijo: “Creed también en mí”, Juan 14:1, y no: “Creed ciertas cosas acerca de mí”. Déjaselo todo a Él y será gloriosamente incierto el modo en que Él se va a manifestar. Pero puedes estar seguro de que lo hará. Permanece fiel a Él.

 

 

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

IMG_1858

28 De Abril
Eu te darei a tua vida como despojo, em todo lugar para onde fores“, Jer.45.5

Esse é o inabalável segredo do Senhor para aqueles que nele confiam: “Eu te darei a tua vida”. Que mais deseja o homem senão a sua vida? É o que há de essencial nele. “Tua vida como despojo” significa que, aonde quer que você vá, ainda que seja no inferno, de lá sairá com vida; nada poderá prejudicá-la. Muitos de nós mostram-se fascinados pela grandeza das coisas, não no sentido de ter propriedades e bens, claro, mas de bênçãos. Tudo isso terá que ser abandonado; mas, há algo maior que nunca passará: a vida que está “oculta juntamente com Cristo, em Deus”.

Você está disposto a deixar que Deus o coloque dentro duma profunda união com ele e a não prestar mais atenção ao que você chama de coisas grandes? Está disposto a entregar-se totalmente a Deus e a abrir mão de tudo? A prova da entrega está em recusar-se a perguntar: “E quanto a isto?” Evite suposições. Tão logo você questiona: “E quanto a isto?”, fica evidente de como não se entregou, que não confia realmente em Deus. Assim que você se entrega, pára de ficar conjecturando o que Deus vai fazer. A entrega total implica em negar-se a si mesmo o luxo de fazer quaisquer perguntas. Se você se entregar totalmente a Deus, ele de pronto lhe dirá: “Eu te darei a tua vida como despojo”. A razão por que as pessoas se cansam da vida é que ela não lhes veio de Deus, não receberam de Deus a vida como despojo. A maneira de sair dessa situação é entregarem-se a Deus. Quando finalmente conseguir render-se a ele, será você quem ficará mais espantado e encantado; Deus ter-se-á apossado totalmente de si e lhe terá dado a sua vida por despojo total. Se você ainda não chegou a esse ponto, ou será por causa da desobediência, ou por recusar-se a ser simples.

 

 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

Abril 28

A ti te daré tu vida por botín en todos los lugares adonde vayas“, Jeremías 45:5

Este es el secreto firme e inmutable del Señor para los que confían en Él: Te daré tu vida…¿Qué más puede desear el hombre que su vida? Es lo esencial. Tu vida por botín significa que adondequiera que vayas, incluso al infierno, saldrás de allí con tu vida y nada la podrá dañar. Muchos de nosotros hemos adquirido el hábito de lucir las cosas para que los demás nos vean; no nuestras posesiones materiales, sino las bendiciones. Todas ellas tendrán que pasar, pero hay algo más grande que nunca pasará: “La vida que está escondida con Cristo en Dios”, Colosenses 3:3.

¿Estás preparado para dejar que Dios entre a una unión plena con Él y a no prestarle más atención a lo que tú llamas las cosas grandes? ¿Estás dispuesto a rendirte por completo y a soltarlo todo? La verdadera prueba de nuestra entrega es que nos negamos a decir: “Bueno, ¿y qué va a pasar con esto?” Cuídate de las suposiciones. En el momento que le das cabida a un: “¿Qué pasa con esto?”, demuestras que no te haz rendido, que no confías realmente en Dios. Pero, tan pronto como te rindes, ya no piensas más en lo que el Señor va a hacer. La entrega implica que no te permites el lujo de hacer preguntas. Si te rindes por completo a Dios, Él te dirá enseguida: Te daré tu vida por botín. Muchas personas están cansadas de la vida porque Dios no les ha dado nada, no han recibido su vida por botín. Para salir de ese estado debes rendirte a Él. Y cuando lo hagas, serás la persona más sorprendida y satisfecha del mundo. Dios te podrá tener completamente, sin limitaciones y te dará tu vida. Si esta no es tu condición, es por desobediencia o porque te niegas a ser lo suficientemente sencillo.

 

 

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

Abril 27

Pero tú, ¿buscas para ti grandes cosas?” Jeremías 45:5, LBLA

¿Estás buscando cosas grandes para ti en lugar de procurar ser una gran persona? Dios quiere que tengas una relación con Él mucho más íntima que la de simplemente obtener sus regalos. Desea que llegues a conocerlo. Las cosas grandes son accidentales, viene y se van. Pero Dios jamás nos da algo por accidente. No hay nada más fácil que entrar en una relación correcta con Dios, a menos que no sea a Él a quien buscamos, sino únicamente lo que nos puede dar.

Si no haz ido más allá de pedirle cosas a Dios, no haz alcanzado a comprender, ni siquiera un poco, lo que significa rendirse a Él. Te haz convertido en un cristiano que vive de acuerdo con su propia opinión. Y protestas, diciendo: “Le pedí a Dios el Espíritu Santo, pero no me dio el descanso y la paz que esperaba”. Inmediatamente Dios pone el dedo en la llaga: No estás buscando al Señor en absoluto, estás buscando algo para ti mismo. Jesús dijo: “Pedid y se os dará”, Mateo 7:7. Pídele a Dios lo que deseas, pero no lo puedes hacer si es algo incorrecto. A medida que te acerques más a Él, dejarás de pedir cosas. “Vuestro Padre sabe de qué cosas tenéis necesidad antes que vosotros le pidáis”, Mateo 6:8. Entonces, ¿para qué pedir? Para que puedas llegar a conocerlo.

¿Estás buscando cosas grandes para ti?¿Haz dicho: “Oh, Señor, bautízame con tu Espíritu Santo”? Si Dios no responde es porque no te haz entregado por completo a Él y todavía hay algo que te niegas a hacer. ¿Estás dispuesto a preguntarte qué es lo que quieres de Dios y porqué? Dios pasa por alto tu perfección actual por el bien de tu perfección máxima y final. Su objetivo no es hacerte bienaventurado y feliz sólo por el momento; Él está obrando en ti su máxima perfección, todo el tiempo. “Para que sean uno, así como nosotros somos uno”, Juan 17:22.

 

 

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

27 De Abril
E procuras tu grandezas?” Jer.45.5

Você anda à procura de grandes coisas para si mesmo? Não procurando ser grande você mesmo, mas procurando grandes coisas de Deus para si pessoalmente? Deus quer que você tenha um relacionamento mais íntimo com ele, que não consista meramente em receber seus dons; ele quer que você o conheça. As grandes coisas são casuais e não permanecem para sempre. Deus nunca nos dá nada por mero acaso. Não há nada mais fácil do que entrar num relacionamento correcto com Deus, a não ser quando não é Deus quem queremos, mas, apenas o que ele nos dá.

Se você chegou apenas aquele ponto de pedir coisas a Deus, ainda não atingiu o primeiro degrau daquela entrega total; tornou-se um cristão segundo o seu próprio ponto de vista. “Eu pedi a Deus o Espírito Santo, mas ele não me deu o descanso e a paz que eu esperava ter recebido”. Imediatamente Deus aponta a razão: “Você não está buscando o Senhor; está buscando alguma coisa para si”. Jesus diz: “Pedi e dar-se-vos-á”. Peça a Deus o que você quiser, mas não peça enquanto não tiver aprendido a pedir a coisa certa. Quando nos achegarmos mais a Deus, pararemos de lhe pedir coisas. “Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais”. Então, por que pedir? Para que cheguemos a conhecê-lo.

Está em busca de grandes coisas para si mesmo? “Oh, Senhor, baptiza-me com o Espírito Santo”. Se Deus não o fizer, será porque ainda falta algo na sua entrega a ele; ainda há alguma coisa que você não quer fazer. Você está disposto a perguntar a si mesmo o que é que quer de Deus e por que o quer? Deus prefere a perfeição final à perfeição do momento. Ele não está preocupado em abençoá-lo e torná-lo feliz agora; ele está desenvolvendo a sua perfeição suprema todo este tempo: “para que todos sejam um, como nós somos um”.

 

 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

26 De Abril 
Toma teu filho… oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei“, Gen.22.2

O carácter de qualquer pessoa determinará como ela interpreta a vontade de Deus, Sal.18.25,26. Abraão entendeu que a ordem de Deus significava que ele teria que matar seu filho e apenas pela dor de uma tremenda provação podia livrar-se de ideias pré-concebidas quanto a esse assunto. Deus não tinha outro recurso ao seu dispor do qual pudesse lançar mão para purificar a sua fé. Se obedecemos ao que Deus diz movidos por uma convicção sincera, ele nos liberta dos preconceitos que nos levam a ter uma imagem errada sobre ele. Existem muitas crenças desse tipo das quais nos devemos livrar; por exemplo, a de que Deus tira uma criança porque a mãe a ama demais – isso é mentira do diabo e uma caricatura da verdadeira natureza de Deus. Se o diabo puder impedir-nos de realizar a suprema escalada e de nos livrarmos de falsos preconceitos a respeito de Deus, ele o fará; mas, se nos mantivermos fiéis a Deus, Deus nos fará passar por uma prova que nos levará a um melhor e mais neutro conhecimento dele.

O ponto culminante da fé de Abraão era que ele estava preparado para fazer qualquer coisa por Deus. Estava ali para obedecer a Deus e não importava a crença que tivesse que contrariar para isso. Abraão não era um seguidor de suas próprias convicções, pois de contrário teria sacrificado Isaque e dito que a voz do anjo era a voz do diabo. Essa é a atitude do fanático. Se você permanecer fiel a Deus, Deus o guiará através de todas as barreiras até ao âmago do conhecimento dele; mas, há sempre essa condição – renunciar a convicções e a crenças tradicionais. Não peça a Deus para prová-lo. Nunca faça uma declaração como a de Pedro: “Senhor, estou pronto a ir contigo, tanto para a prisão, como para a morte”. Abraão não fez nenhuma declaração desse tipo; permaneceu fiel a Deus e Deus assim pôde purificar toda a sua fé.

 

 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16

 

Abril 26

Toma ahora a tu hijo y ofrécelo allí en holocausto sobre uno de los montes que yo te diré“, Génesis 22:2

El carácter de una persona determina cómo interpreta la voluntad de Dios (ver Salmo 18:25-26). La interpretación que Abraham le dio al mandamiento divino fue que tenía que matar a su hijo y pudo dejar esta creencia tradicional mediante el dolor de una prueba muy difícil. Dios no podía purificar su fe de otra manera. Si obedecemos la voz del Señor de acuerdo con nuestra sincera convicción, Él nos librará de aquellas creencias tradicionales que ofrecen una imagen suya versada. Existen muchas de estas ideas de las cuales debemos despojarnos. Por ejemplo, que Dios le quita la vida a un niño porque su madre lo ama demasiado. ¡Esa es una mentira del diablo, una caricatura de la verdadera naturaleza de Dios! Si tiene la oportunidad de hacerlo, el diablo va a impedir que hagamos ese ascenso supremo y que nos libremos de nuestras falsas creencias tradicionales acerca de Dios. Pero si nos mantenemos fieles al Señor, Él nos hará pasar por una dura prueba que nos llevará a conocerlo mejor.

La gran lección que nos deja la fe de Abraham en Dios es que estaba dispuesto a hacer lo que fuera por Él. Estaba ahí para obedecerlo sin importar a qué creencia se estaba oponiendo. Abraham no era un devoto de sus propias convicciones, de otra manera hubiera matado a Isaac y hubiera dicho que la voz del ángel era la del diablo (ver Génesis 22:12).

Esa es la actitud de un fanático. Si permaneces fiel a Dios, Él te guiará directamente a través de todos los obstáculos, hasta que llegues a la cámara interior de su conocimiento. Pero siempre debes estar dispuesto a llegar al punto de renunciar a tus propias convicciones. No le pidas a Dios que te pruebe. Nunca declares, como Pedro: “Estoy listo a hacer lo sea, a ir contigo no sólo a la cárcel, sino también a la muerte”, Lucas 22:33. Abraham no hizo ninguna declaración similar. Sencillamente permaneció fiel a Dios y Él purificó su fe.

 

 

AVIVAMIENTOS

(www.avivamientos.net)

“…Ojos era yo para el ciego, y pies para el cojo… y examinaba la causa que no conocía“, Job 29:15,16

 

24 De Abril
Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem…” Luc.10.20

Como obreiros cristãos, o que nos pode vir a atraiçoar não é o mundanismo, não é o pecado, mas a auto-promoção espiritual – seguir os padrões e aqueles moldes da era religiosa na qual nos encontramos, com os olhos voltados para o sucesso espiritual. Não busque nada que não seja a aprovação de Deus. “Saiamos… a ele, fora do arraial, levando o seu vitupério”, Heb.13:13. Em Luc.10:20 Jesus disse aos discípulos que não se rejubilassem com o sucesso no serviço; todavia, parece ser esse o principal motivo com que a maioria de nós se rejubila. Nossa perspectiva é um tanto quanto comercial por tantas almas salvas e santificadas e por isso damos graças a Deus dizendo que assim é que está tudo bem. Nosso trabalho só começa depois que a graça de Deus possa estabelecer seus alicerces firmemente; não temos que salvar almas, temos que discipulá-las. Salvação e santificação são obras da graça soberana de Deus; nosso trabalho como discípulos de Cristo é fazer discípulos até que essas pessoas estejam totalmente rendidas a Deus. Uma vida totalmente consagrada a Deus é de mais valia para ele do que cem vidas apenas despertadas pelo Espírito. Como obreiros de Deus, devemos reproduzir espiritualmente a nossa própria espécie; será esse o testemunho de Deus de que somos realmente feitos obreiros. Deus, pela sua graça, eleva-nos a um determinado padrão de vida e será ali que nos tornamos equivalentes a responsáveis pela reprodução desse padrão em todos os demais.

A não ser que o obreiro viva uma “vida oculta de Cristo em Deus”, Col.3:3, correrá o risco de tornar-se num ditador irritante e não num discípulo que pode ainda vir a permanecer em Deus. Muitos de nós somos ditadores; impomo-nos a pessoas e em reuniões. Jesus nunca se impõe dessa forma. Sempre que o Senhor falava de discípulado, iniciava com um “SE”, nunca com uma afirmação enfática: “Você tem que…” O discipulado deixa clara uma opção a tomar.

 

 

REAVIVAMENTOS

(www.reavivamentos.com)

“…Olhos para o cego e pés para o coxo… pai para o orfão e a causa que desconhecia, investiguei…” Jó 29:15,16