E se fôssemos tão eficientes como o FB, WhatsApp & Irmãos, LDA?

Posted: September 21, 2015 in Cristianismo na 1a Pessoa-Protestantismo
Tags: , , , , , ,

Provavelmente, nos nossos dias, a toxicodependência poderá não estar (tão) acima da virtualdependência (aka!!que palavra é esta?! existe?!). Tornámo-nos tão virtuais que a industria do tabaco deve ter retorcido em lucros comparando com a procura de smartphones e respectivos aplicativos. As redes sociais (RS) têm exercido tanta influência ao ser humano que aos poucos se tem tornado mais virtual do que social.

Na verdade, as RSs trazem consigo um paradoxo relativamente a definição do seu conceito. Quer o Infopédia ou o Priberam, alguns dos dicionários virtuais que uso quando o meu Português entra em estado crítico, oferecem definições semelhantes quando se referem a redes sociais, isto é, conjunto de relações e intercâmbios entre indivíduos, grupos ou organizações que partilham interesses, que funcionam na sua maioria através de plataformas da internet [1]; conjunto de relações entre pessoas ou organizações que partilham interesses, conhecimentos e valores comuns, por meio da internet [2]; ou ainda, site ou página da internet onde se estabelece esse tipo de relações, através de publicação de comentários, fotos, links, etc [3].

A realidade tem apresentado resultados contrários. A mim me parece que tem havido mais afastamentos do que aproximações. Mas, não devo fugir do extremismo pois também há bons exemplos (meu caso pessoal) de relacionamentos significativos construídos a partir das RSs e que, na sua maioria, posteriormente tiveram de deslocar-se para a plataforma real em vez do uso exclusivo da plataforma virtual. Casos há (e acho que são muitos…mas, não tenho resultados de estudos feitos) em as redes quebraram a sociabilidade. Tal é o “facto real”que soube há tempos, a respeito de um casal que mesmo vivendo na mesma casa usavam os aplicativos para acertarem sobre o que comer no jantar, almoço, etc. Digamos que seja por timidez excessiva, falta de coragem para conversar, etc ou sei lá o que. O que se assiste actualmente é a rapidez para os aplicativos, pouca conversa real, palavras lindas a serem pronunciadas por e para pessoas estranhas quando há dificuldades em expressar um simples “bom dia!”, “olá”, ou “como vai?” para quem vive ou está próximo. As nossas emoções se tornam cada vez mais virtuais do que reais.

Mas, poderíamos aprender tanto com esses aplicativos. Que tal se invertêssemos a ordem dos acontecimentos? Aplicativos como Facebook, WhatsApp & Irmãos, são tão eficientes para nos comunicarmos. Que tal prestarmos atenção ao tempo que têm retirado de nós e fôssemos nós os mais eficientes? Que fôssemos nós a comandá-los (pois me parece que tem sido o contrário…uhm! exagero meu?!); ficamos tão colados aos dispositivos que acabamos por esquecer tarefas prioritárias. Quer exemplos? alimentos mal preparados, relacionamentos quebrados…devido a má gestão das prioridades.

Se fôssemos tão eficientes como o FB, WhatsApp & Cia… não permitiríamos que estes ocupassem o nosso tempo de oração e da meditação na Palavra de Deus;

Se fôssemos tão eficientes ficaríamos atentos para evitar que o telemóvel substituísse os nossos familiares, amigos, colegas…as pessoas. Ah! sim; há dias a bateria do meu iPhone não quis carregar e quando faltavam 12% me recordei que tinha a oportunidade de realizar algo que sempre quis fazer, um “boicote electrónico”; e como tenho o aparelho fora do prazo de garantia, levá-lo para reparação seriam mais uns tantos Ienes… nem queiram imaginar quão alegre estava pois finalmente realizaria o meu “plano”. Feliz, ou infelizmente, não posso ficar sem o fone… por enquanto. Tive de achar uma solução rápida  antes que a carga acabasse…e para minha surpresa, uns truquezinhos lá estava o fone na via. Mas, fiquei um pouco triste…já sabem porque!

Fomos feitos para Deus, fomos criados para a glória de Deus; tudo quanto fazemos deve resultar em glórias para Deus; a nossa vida, diariamente, deve ser um sacrifício de adoração a Deus e, tudo começa quando morremos por nós mesmos fazendo de Jesus Cristo  nosso Salvador e Salvador. Se já é cristão, provavelmente, esteja familiarizado com as Escrituras:

Portanto, quer comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa, devem fazer tudo para a glória de Deus. 1 Coríntios 10:31 (BSP)

O que fizerem, façam-no de todo o coração como se estivessem a servir o Senhor e não os homens. Colossenses 3:23 (BSP)

Se tudo deve ser feito para a glória de Deus e para Cristo, isto não implicaria o uso das RSs?

Se fôssemos tã0 eficientes usaríamos as RSs segundo o temor do Senhor. Tem sido assim consigo? Pessoalmente, nem sempre …! Mas, podemos reverter a situação, certo? Voltemos ao propósito original e usemos as RSs para a gloria do Pai.

Que tal, pode compartilhar connosco outros “e se fôssemos tão eficientes como o FB, WhatsApp e  Ir. Lda? Que tal umas teclas nos comentários?!

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s